Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

handmade life

09.10.17

a tradição. Já não é o que era...

Joana Marques

Olho para trás.

E vejo.

O meu avô na sala. E a minha avó Maria na cozinha.

Nem sei se o meu avô alguma vez entrou na cozinha.

Provavelmente sim. Mas não tenho essa imagem presente na minha cabeça.

A minha avó teve 5 filhos. Homens. Nunca me lembro de os ver na cozinha.

As noras, sim. A minha mãe. E as minhas tias. Dividiam tarefas.

Era normal. Ninguém se queixava.

 

 

Olho para trás.

E vejo.

O meu avô na sala. E a minha avó Adélia na cozinha.

Embora tivesse empregada desde sempre. Algumas coisas eram sempre feitas por ela.

Adorava cozinhar. E tinha umas mãos de fada.

A empregada ajudava. Só ajudava! 

Em almoços ou jantares importantes. Ela é que idealizava. E fazia.

Quem vinha de fora. Era desconvidado a entrar na cozinha. Até a minha mãe que era filha.

A dona da casa e da cozinha era a minha avó Adélia.

 

Olho para trás.

E vejo. A nossa cozinha em Campo de Ourique.

Um pouco mais flexível que nas cozinhas da geração anterior.

Mas o meu pai pouco fazia. Porque o meu pai pouco sabia.

Ainda me lembro o dia em que a minha mãe deixou sopa a fazer na panela de pressão.

- João, vou só aqui abaixo, à mercearia.

O pobre do meu pai. Ia enfartando. O caneco da panela de pressão começou numa chiadeira.

O meu pai não fez mais nada.

Saltou do sofá.

Abriu a porta de casa. E fechou o gás do prédio. Todo!

Se o objetivo era calar a panela de pressão conseguiu....

Se o objetivo era pôr a vizinha do primeiro direito a chamar-nos nomes....também foi bem sucedido.

 

Adoro tradições.

O Natal. A Páscoa. Os nossos aniversários. Os almoços com toda a família.

Ter à mesa aqueles que já não estão. Com histórias. Comida. E cheiros...

O riso do meu irmão a lembrar o meu avô paterno.

E o meu sobrinho mais velho que tem o cabelo da cor do meu avô materno.

A maneira de andar da minha irmã que lembra a minha avó Adélia.

E os meu olhos iguaizinhos aos da minha avó Maria.

 

Algumas tradições fazem sentido.

Outras ainda bem que não resistem ao tempo.

Chama-se evolução.

 

Quando coloquei a receita do bolo de cenoura nunca pensei que alguém a fizesse.

Mas no fim de semana tive duas surpresas.

Boas surpresas.

 

Primeiro apareceu-me esta imagem no instagram.

Bolo de cenoura feito pelo Ricardo. E ao lado algo apetitoso, também.

Estamos à espera da receita!

bolocenoura2.jpg

 

Mais tarde.

Do João Farinha.

bolocenoura1.jpg

Homens!

A tradição. Definitivamente. Já não é o que era....

....e ainda bem!

 

25 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Joana Marques

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

  • P. P.

    Deliciosamente bem escrito e com sentimento.Um bei...

  • Andreia

    Tão bom ver este caminho pelo mundo da bloggoesfer...

  • Ladys

    Que bonito, até fiquei emocionada. Tens um coberto...

  • C.S.

    Descobri este texto hoje e ainda bem. Ri e quase c...

  • Anónimo

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D