Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

27.01.18

O sonho. E a realidade.

Joana Marques

Estou de partida para Nova Iorque.

A semana que passou foi de loucos.

Aquelas coisas que costumo deixar para sexta à tarde e para o fim de semana foram feitas ao longo da semana.

Lavar a roupa. Passar a ferro. Trocar as camas. Limpezas.

Hoje tinha planos.

 

o sonho

Aproveitar a manhã para fazer a mala.

A Alice ia acordar por volta das 7.

 Pequeno almoço.

Sair com ela e com o cão. Dar uma volta aqui pelas redondezas.

Voltar a casa.

Brincar um bocadinho com ela.

Adormece-la.

Almoçar antes dela acordar.

Quando ela acordasse dava-lhe o almoço.

Pegava nela e no Vasco e ia até casa dos meus pais.

Ia enviar uma mensagem ao meu pai para ele vir cá fora ajudar-me com a tralha.

Ia ler um livro à Alice. Até ela adormecer.

Ficava lá por casa. Ou ia passear o cão.

A Alice ia acordar. Ia dar-lhe o lanche.

E íamos brincar. O cão devia juntar-se à brincadeira. E o meu pai também.

Banho. E logo a seguir o jantar.

Ultima história do dia. Ia adormece-la.

Deita-la.

Ia ficar a vê-la dormir.

Ia passear com o Vasco.

E de seguida, jantar com os meus pais.

Sporting.

E ia para casa.

Amanhã. Nova Iorque.

Seria uma transição suave para a Alice. Para não ser traumático para ela.

Já teve tantas mudanças na vida.

 

a realidade

 

Fui acordada pelo cão. Como de costume.

Cedo. Como eu gosto.

Fui espreitar a Alice.

O cão viu qualquer coisa que o inquietou e desatou a ladrar que nem um tarado.

A Alice acordou, com a barulheira.

5h30 da manhã. Já não dormiu mais.

Bonito! Não tomei banho. Não tomei o pequeno almoço. E a mala feita....só na minha imaginação.

A Alice chorava que nem uma Madalena. E o cão ladrava. E eu só pensava nos vizinhos...

Tratei da Alice. Dei-lhe o pequeno almoço.

O cão precisava mesmo de ir à rua.

Estava frio.

Enchouricei a miúda dentro da roupa. Enchouricei-me a mim também.

Alice no carrinho. A reclamar.

Não estava nos dias dela.

O cão feliz da vida. Formoso e seguro. Pelas ruas.

Xixi aqui. Xixi ali. A vida é uma festa.

Cocó. A vida é uma festa mas às vezes cheira mal.

 

Voltei a casa. A Alice sempre meio chorosa.

Embalei-a.

Ainda não tinha tomado banho. Ainda não tinha tomado o pequeno almoço.

A Alice adormeceu. Mas quando a deixei na cama. Começou a chorar outra vez.

Dei-lhe sopa. Quentinha. Embalei-a.

Dormiu.

 

Fui tomar banho.

Tomei, finalmente o pequeno almoço. Às 11h da manhã.

 

Quando olhei. Vejo o cão. Rabo a abanicar. Feliz da vida. Com qualquer coisa dentro da boca.

Nem quero acreditar. Quando olho e vejo que é uma cápsula de detergente da loiça.

Tinha a máquina pronta. E já tinha posto a cápsula. Ele conseguiu tirá-la de lá.

Ainda esta semana falei disto.

As minha preocupações estavam certas. Um dos meus filhos andava a dar forte e feio no detergente.

Fui com muito cuidado. Em câmara lenta ter com ele. Para o agarrar.

Movimentos bruscos, assustam-no.

Quando estava quase, quase, quase....ele fugiu. Ó céus....

Quando fugiu. Bruscamente. E com a humidade da boca. E o calor.

Com mil Slimanis. A cápsula rompeu.

Saltei para cima dele. E com as minhas pernas a fazer de alicate.

Segurei o cão com as pernas...até porque estou cheia de força nas pernas.

Abri-lhe a boca.

Tirei-lhe a cápsula.

Obriguei-o a ir até à casa de banho. Arrastei-o...

Escancarei-lhe a boca.

Lavei-lhe a boca. Língua. Dentes.

Para lhe tirar o detergente.

A fuga. Tinha sido pequena.

O dano foi enorme.

Devo ter tocado num ponto sensível da garganta do cão. Logo a seguir fui apanhada numa avalanche de vómito.

A vida é uma festa, às vezes é mal cheirosa e é sempre imprevisível.

Vasco no seu melhor. Estava aterrorizado. E a tremer.

 

A Alice acordou.

Lá me limpei como consegui. Troquei de camisola. E fui ter com ela.

Dei-lhe o almoço.

Vasco. Inconsolável no sofá da sala..

Bonito. Um cão sujo...no sofá da sala.

Vasco. A tremer no sofá da sala.

 

Liguei ao veterinário a contar. Sossegou-me. Se vomitou e tudo. Não tinha nada de detergente. Era fita.

- Fita?? O Vasco....estranho!

Os meus pais ligaram.

Tinha-me esquecido de avisar. Que os planos tinham mudado.

O meu pai disse para não me preocupar. Que passava por aqui e levava a Alice. Antes da sesta da tarde.

 

Apareceu o meu pai.

A Alice saiu a chorar.

Eu fiquei de coração partido.

Não era nada disto que tinha idealizado.

Dediquei-me ao cão. Tinha de conseguir consertar o cão estragado.

Fiz festinhas.

Dei beijinhos.

Ficou ao meu colo.

Dei comida.

E fiz festinhas.

Limpei-o.

Falei-lhe ao ouvido.

Disse-lhe que gostava muito dele.

Disse-lhe que era o melhor cão do mundo.

E que a minha vida sem ele não tinha graça.

Dei biscoitos dos dentes.

Fiz festinhas.

Convidei-o a ir dar um passeio.

Ele foi. Muito devagarinho. Parecia um cão velhinho. E chorava. Muito.

Fiz festinhas.

Fez xixi. E cocó.

Voltámos para casa. A uma velocidade. 1 m por minuto.

Dei-lhe banho. Sequei-o.

Voltou a deitar-se no sofá da sala. Mais calmo. E já sem tremer. Mas ainda combalido.

Descongelei. No micro-ondas. O meu principal trunfo.

O frango assado.

Chamei-o. Comeu alarvemente. E com satisfação.

Fiz festinhas.

Dei-lhe beijinhos.

Eram 20h quando o deixei em casa dos meus pais.

A Alice já estava a dormir.

E lembrei-me agora que ainda não almocei....

 

 

28 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Joana Marques

foto do autor

Sigam-me

Links

Grupo no Facebook de Partilha handmade! 💝

As histórias do cão! 🐶

Tricot 🌺

Crochet 🌻

Receitas 🍳🥦🥧

Planear ⌚📅 📊

Comentários recentes

  • Aurea

    Todo o drama dos refugiados é uma tristeza... O so...

  • José da Xã

    Joana,assim de repente: o meu presente. É o mais b...

  • José da Xã

    Dói-me Joana saber que há crianças nessas situaçõe...

  • Ana Silva

    O post que mais goste, foi " roubei o arroz de pat...

  • Isabel

    Eu quero participaaaaaar!!Gosto muito do teu blog,...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D