Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quiosque da Joana

handmade life

Quiosque da Joana

handmade life

31
Ago17

tricotar um xaile. Com esquema...

Joana Marques

Aprendi a tricotar juntamente com uma amiga minha, a Ana.

Nenhuma de nós sabia. E um dia decidimos que queríamos aprender.

Em minha casa ou na dela começámos por ver revistas.

A perceber que não conseguíamos aprender por aí.

Tudo muito complicado para quem não sabe, nada!

 

Entrámos no universo dos vídeos do youtube.

Só fazíamos peças simples. Ás vezes nem eram peças.

Depois, com o tempo. E sabendo que já não passaríamos vergonha começámos a frequentar workshops.

Eu fiz o workshop de luvas e ensinei-lhe.

Ela aprendeu gorros e ensinou-me.

E por aí fora.

Neste momento sabemos fazer muita coisa, graças ao tempo infinito que passámos a aprender.

A experimentar.

E a desmanchar.

Eu e a Ana trocamos fios.

Por exemplo, se eu vou a uma casa de lãs nova compro-lhe um novelo ou uma meada.

E ela faz o mesmo.

Enviei-lhe uma meada que comprei aqui em Oslo.

Passo tantas vezes à porta da loja que eles devem achar que estou a preparar o assalto do século.

Uma loja onde só se fala norueguês e eu tenho de andar feita parva a emitir sons e a apontar....

Na volta do correio chegou isto.

1 (1) (3).JPG

 

1 (3) (5).JPG

É muito fio. Mais de 500 metros. Achei que era ideal para um xaile.

Chama-se paint e é da Katia.

Comecei por pôr mãos à obra.

2(7).JPG

Já aqui tinha deixado o passo a passo de um xaile assimétrico. Fica muito bem com um fio fininho e agulhas 2,5.

 

Também este é um xaile assimétrico. Um pouco mais trabalhado. O fio é mais grosso. Um fio de inverno.

Estou a usar agulhas número 5. E aplicar o esquema anterior neste fio ficaria muito pesado.

Este novo esquema é trabalhado, tem um padrão. Fica mais leve.

 

Para este tipo de esquema aconselho vivamente terem um contador de carreiras.

Porque se forem como eu, vão se esquecer em que carreira estão nos primeiros 5 minutos.

 

Material necessário:

- fio

- agulhas apropriadas ao fio

- contador de carreiras

 

Esquema:

Iniciam com 3 pontos na agulha e é feito em liga.

E funciona em grupos de 12 carreiras.

Por isso é importante o contador de carreiras.

(se me esquecer de dizer é sempre em liga)

 

Carreira 1

-tricotar os três pontos em liga.

 

Carreira 2

- tricotar dois pontos em liga e no ultimo ponto fazer um aumento (ficamos com 4 pontos)

 

Carreira 3

- tricotar  4 pontos em liga (4 pontos)

 

Carreira 4

- tricotar 3 pontos em liga e no ultimo ponto fazer um aumento (5 pontos)

 

Carreira 5

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar em liga os restantes (6 pontos)

 

Carreira 6

- tricotar 5 pontos em liga e no último fazer um aumento (7 pontos)

 

Carreira 7

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os restantes pontos em liga (8 pontos)

 

Carreira 8

- tricotar 7 pontos em liga e no último fazer um aumento (9 pontos)

 

Carreira 9

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os restantes pontos em liga (10 pontos)

 

Carreira 10

- tricotar 9 pontos em liga e no último fazer um aumento (11 pontos)

 

Carreira 11

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os restantes pontos em liga (12 pontos)

 

Carreira 12

- tricotar 11 pontos em liga e no último fazer um aumento. (13 pontos)

 

A primeira parte do xaile está pronta.

As próximas 12 carreiras são para se ir repetindo até termos o xaile com o comprimento que desejarmos...

Devem voltar a pôr o contador a zero e iniciar a contagem.

 

 

 

Carreira 1

-tricotar os pontos todos em em liga.

 

Carreira 2

- tricotar os pontos todos em em liga.

 

Carreira 3

- fazer um aumento no primeiro ponto e tricotar os restantes pontos todos em liga. 

 

Carreira 4

- tricotar todos os pontos em liga e no ultimo ponto fazer um aumento 

 

Carreira 5

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os dois pontos seguintes em liga e depois até ao final: laçada, tricotar dois pontos juntos; laçada, tricotar dois pontos juntos.....

 

Carreira 6

- tricotar todos os pontos em liga e no último fazer um aumento (7 pontos)

 

Carreira 7

 - fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os dois pontos seguintes em liga e depois até ao final: laçada, tricotar dois pontos juntos; laçada, tricotar dois pontos juntos.....

 

 

Carreira 8

- tricotar todos os pontos em liga e no último fazer um aumento 

 

Carreira 9

 - fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os dois pontos seguintes em liga e depois até ao final: laçada, tricotar dois pontos juntos; laçada, tricotar dois pontos juntos.....

 

Carreira 10

- tricotar todos os pontos em liga e no último fazer um aumento.

 

Carreira 11

- fazer um aumento no primeiro ponto e tricotar os restantes pontos todos em liga. 

 

Carreira 12

- tricotar todos os pontos em liga e no ultimo ponto fazer um aumento 

 

Como disse, em cima, agora é repetir estas 12 carreiras até terem o xaile completo.

A cada doze carreiras convém colocar o contador de carreiras a zero. 

Acreditem, evita muitos erros.

 

E como isto é viciante o meu já está assim!

 

3 (15) (1).JPG

3 (10).JPG

 

Se ainda estiverem a iniciar o tricot ou não tiverem grande experiência, aconselho que façam primeiro este tipo de xaile. Tricotem-no com um fio fininho.

Dá trabalho mas o resultado é maravilhoso.

 

Se já são experientes vão conseguir fazer na boa este esquema que hoje deixo.

Se alguém fizer não se esqueça de me mostrar!!

Fico à espera....

 

23
Ago17

o vestido manchado...

Joana Marques

Há uns meses entrei numa Zara, em Barcelona.

E vi um vestido.

Adorei o vestido.

Azul.

Bom corte.

Tecido de qualidade.

Nem pensei duas vezes.

Peguei nele.

É meu. Ou melhor, é para a minha sobrinha.

 

Antes de pagar o vestido.

Olhei mais uma vez.

E com olhos de amor. Achei que o vestido me ficava mesmo bem a mim.

Estava na minha mão um vestido para 12 anos. Para mim seria pequeno.

Saí da fila.

E voltei para perto dos vestidos. Não havia para 13/14 anos. É o meu número na Zara Kids.

Voltei para a fila.

Continuava a olhar para o vestido. E achei, se calhar o vestido de 12 anos até me fica bem.

Um pouco justo...talvez.

Saí da fila.

 

Fui ao provador. Ficava-me bem. Se fosse ligeiramente maior.....

Ficava-me bem...picuinhices à parte...

Voltei ao local dos vestidos e resolvi comprar também um para mim.

Não havia.

Perguntei.

Não havia.

E noutra Zara.

Também não.

 

Voltei para a fila. Paguei o vestido.

Saí da loja.

O vestido é meu.

Não.

O vestido é da minha sobrinha.

 

O vestido é meu.

Não.

O vestido é da minha sobrinha.

O vestido foi mesmo para a minha sobrinha.

 

Aproveitei que os meus pais estiveram comigo na altura. E levaram o vestido para a miúda.

Ligou-me. Adorou o vestido.

12 (1).JPG

No mês passado a minha cunhada ligou.

A pequena tinha ido dar um passeio.

De uma varanda. Uma gota.

Ou várias.

Devia ser lixívia.

E o vestido ficou manchado. 

 

Juro que não tive nada a ver com isso.

Quando decidi dar o vestido.

Já tinha fechado o assunto.

Dei de boa vontade!

 

- Podes-me enviar o vestido?

A minha cunhada assim o fez.

Como vestido estava arruinado mas na minha cabeça já estava a ter ideias.

A parte da saia. Fiz uma almofada.

Foi só coser as laterais. Aproveitei as costuras que o vestido já tinha.

Fiz uma renda.

sololatte.jpg

Usei um fio que nunca tinha experimentado. Solo Latte. Da Rosários 4. 

Adorei este fio. O acabamento fica muito bonito. E é muito fácil de trabalhar.

E o resultado final. 

11 (1) (1).JPG

Quem tiver vontade de fazer uma mandala em renda, igual, pode seguir o esquema.

Não tem de aplicar em almofada.

Pode-se colocar numa moldura.

Num bastidor.

Ou até numa manta.

Com fio mais grosso pode servir de base para um tapete.

16 (1).JPG

 

23
Jul17

terminado!

Joana Marques

Dizia eu neste post que não gostava muito de trabalhados.

Não há regra sem excepção e gostei deste.

É um trabalhado discreto.

2 (18).JPG

2 (7) (1).JPG

 

Usei o fio woolyboo da rosários 4. Cor 11. Agulhas de tricot número 5.

Este fio é composto por 50% de algodão, 35% de bambú e 15% lã.

É muito macio. Muito fácil de trabalhar.

 

Foi o primeiro esquema idealizado por mim.

E o resultado final foi este:

 

2 (15).JPG

2 (1) (2).JPG

 

 

20
Jul17

tricotar um xaile. Passo a passo!

Joana Marques

Adoro tricotar xailes.

Usá-los já é outra conversa.

Depois de já ter tricotado muitos xailes diferentes.

Cheguei ao meu xaile preferido.

Não de tricotar. Mas de usar.

 

Xailes muito trabalhados.

Gosto de os tricotar, apenas.

Usar, não consigo. Acabo por desmanchá-los ou oferecer-los a alguém.

 

Xailes simétricos. Que sejam um triângulo perfeito.

Tricoto-os sem problemas.

São xailes que se iniciam no centro e se vão acrescentando pontos em todas as voltas.

Não gosto de os usar.

Sinto sempre que falta uma parte do xaile.

Parece que fica muito pequeno.

Fica-se assim com qualquer coisa pendurada no pescoço...sem grande utilidade.

 

Para eu usar o xaile tem de ser assimétrico, com um ponto simples e tem de ser comprido.

Um xaile deste tipo é muito versátil.

Pode ser um xaile de Verão ou de Inverno. Conforme o fio que se escolha.

E pode ser usado de várias maneiras.

Se for comprido fica giro porque pode dar várias voltas. E como é assimétrico fica com efeitos engraçados.

Na maioria das vezes uso-o como se fosse um cachecol.

 

Depois de ter entrado no mundo dos xailes.

Acabei como comecei. O que eu mais gosto é o mais fácil de fazer.

Em ponto mousse. É feito todo em liga.

Já tinha explicado o esquema aqui.

Hoje acrescento fotos.

Ao longo da explicação aparecem também vídeos. Para ajudar na parte mais difícil.

Qualquer pessoa que saiba tricotar consegue. É só seguir o esquema.

 

Vamos a isso?

Começamos com 3 pontos na agulha.

1 (18) (1).JPG

1ª carreira: é uma carreira ímpar.

Em todas as carreiras ímpares: tricotamos em liga todos os pontos e no último ponto fazemos um aumento.

Ficamos com 4 pontos na agulha.

1 (24) (1).JPG

2ª carreira: é uma carreira par. 

Em todas as carreiras pares: tricotamos o primeiro ponto em liga. O segundo ponto fazemos um aumento. Tricotamos em liga todos os pontos até aos dois últimos. Estes dois últimos pontos, tricotamos juntos.

Continuamos com 4 pontos na agulha.

1 (26).JPG

3ª carreira: é uma carreira ímpar.

Em todas as carreiras ímpares: tricotamos em liga todos os pontos e no último ponto fazemos um aumento.

Ficamos com 5 pontos na agulha.

1 (3) (2).JPG

 

4ª carreira: é uma carreira par. 

Em todas as carreiras pares: tricotamos o primeiro ponto em liga. O segundo ponto fazemos um aumento. Tricotamos em liga todos os pontos até aos dois últimos. Estes dois últimos pontos, tricotamos juntos.

Continuamos com 5 pontos na agulha.

1 (5) (3).JPG

Se conseguiram chegar até aqui. Já têm o xaile praticamente pronto!

Porque agora é sempre igual até ao fim!!

Acreditem, começar é a parte pior....

 

Se continuarem sempre com o mesmo esquema.

O vosso xaile vai crescendo. Assimetricamente!

1 (13) (3).JPG

 

(fio usado: woolybool, rosários4)

 

Quando parar?

Depende do que querem.

Depende do tamanho da pessoa que vai usar o xaile. E daquilo que pretendem.

Eu gosto dele muito comprido.

E largo.

Este que fiz, depois de bloqueado ficou com 42 cm por 2,25m.

x1.jpg

Para mim estas são as medidas certas para um xaile.

Depende sempre do fio usado.

Estas medidas servem essencialmente para nos guiarmos.

 

cp.jpg

No final. Bloquear o xaile.

E depois, é só usar!!

Não se esqueçam que podem aderir ao grupo handmade life e partilhar todos os vossos trabalhos!

Espero-vos lá!

11
Jul17

a importância de bloquear. Bem!

Joana Marques

Quando decidi aprender a tricotar comecei por assistir a um número infinito de vídeos no youtube.

Aprendi ao mesmo tempo que uma amiga. E íamos trocando ideias e aprendendo uma com a outra.

Quando achei que já não fazia muito má figura. Comecei a frequentar Workshops.

O primeiro workshop que fiz foi a aprender a tricotar um casaco.

Como um workshop tem tempo muito limitado era um casaco de bebé.

Mesmo estando lá uma tarde inteira, nem cheguei a metade do casaquinho.

Trouxe trabalho para casa.

E só me deitei nessa noite quando o terminei.

A deceção foi mais que muita.

Olhei para o meu trabalho. Não detetei nenhum erro.

Mas....

Não gostei nada do resultado...

Era domingo.

Segunda feira. Fui trabalhar.

À tarde, passei pela loja onde tinha feito o workshop e mostro o meu trabalho.

Pesarosa e desanimada.

Olham para mim e dizem-me que tinha de bloquear a peça.

- Bloquear?? Como assim bloquear??

20 (5).JPG

 

Quando terminamos um trabalho. Sai das agulhas todo amarfanhado e amarrotado.

A forma que queremos não é a forma que ele tem.

Idealizamos uma coisa e temos outra...para pior.

Depois de terminar de tricotar. Temos de bloquear.

 

Costumo fazer assim:

1. Coloco a peça em água com um pouco de amaciador da roupa.

2. Espero 20 a 30 minutos.

3. Passo a peça por água limpa.

4. Não torço a peça, nunca! Coloco dentro de uma toalha para o excesso de água sair.

5. No chão coloco este tapete que se usa para as crianças, quando começam a gatinhar ou a andar...não sei bem!

(também se pode usar esferovite)

20 (1).JPG

6. Estendo uma toalha.

7. Em cima da toalha estendo a peça, usando alfinetes. Muitos alfinetes!

8. Dou-lhe a forma que quero.

20 (9).JPG

 

20 (10).JPG

 9. Deixo secar.

10. Deixo estar pelo menos 12 horas.

11. Tiro os alfinetes todos.

 

E quando finalmente olhamos para a peça, conseguimos ver todos os pormenores.

Fica com um acabamento muito diferente do que tinha inicialmente.

20 (15).JPG

Penso que é fácil ver a diferença abismal que separa a primeira e a última foto.

 

Este exemplo não é o melhor.

Este xaile que fiz foi uma experiência.

Usei um fio que tinha há muito tempo.

Não gosto dele particularmente.

E usei-o para experimentar um esquema que não conhecia. Nem sequer é o fio apropriado....

Gostei do esquema.

Acho o efeito bonito.

Como o fio tem tonalidades esquisitas....fica assim...

Este xaile vai ser desmanchado...e o fio usado numa outra peça...

 

 

11
Jun17

vamos tricotar? Aos domingos...

Joana Marques

xaile23.jpg

Tricotar não é só uma atividade para fazer no inverno, embrulhada numa manta, a ver televisão, no aconchego do sofá.

Já experimentaram fazê-lo numa esplanada. Num jardim. Num parque. Ou na praia.

É relaxante. E os níveis de satisfação são elevados.

Usar uma peça feita por nós. Numa cor escolhida por nós. Tem outro sabor!

 

 

Este é um projeto de domingo.

Para tricotar aos domingos. Só aos domingos.

 

Deixo aqui, um esquema muito fácil de tricotar.

E com um efeito muito giro.

Para ser feito a uma só cor ou como na foto com restos de fios.

Ou podem optar por um fio matizado.

Alguma dúvida que tenham. Estou por aqui para ajudar.

Mãos à obra!!

E então? Vamos tricotar??

 

download do esquema

07
Jun17

duas varinhas. Mágicas....

Joana Marques

 2 (7).JPG

Estas são as minhas agulhas preferidas.

São agulhas de bambu.

3,5.

Clover.

A marca pouco interessa mas sendo da marca Clover sei que foram fabricadas no Japão.

 

Estas agulhas são especiais.

Foram as minhas primeiras agulhas.

Há uns anos atrás quando decidi aprender a tricotar, depois de um almoço de domingo, perguntei à minha mãe se tinha agulhas de tricot.

- Sou capaz de ter.

Não tinha. Já tinha tido mas como nunca tricotou, devem ter acabado no lixo.

 

À segunda-feira, entrei numa retrosaria em Lisboa e comprei-as. Comprei também fio para poder iniciar-me nestas artes.

Depois deste dia nunca mais me separei destas agulhas.

Andam sempre comigo. Já foram a Paris, Angola, Inglaterra, Grécia, Estados Unidos, Brasil, Noruega, Espanha, Argentina.

E na Argentina quase as perdi.

Costumo transporta-las no meu estojo, junto com as canetas e lápis.

Na Argentina foi aberto o meu estojo. E o segurança disse-me que tinha de deixar as agulhas.

-

Insisti com ele, mostrei-lhe a minha identificação. Disse-lhe que a minha intenção era tricotar e não degolar ninguém.

Não devia ter dito a palavra degolar. Intransigente, não me deixou ficar com as agulhas.

 

Eu num passo de mágica resolvi a situação.

Peguei nas agulhas.

Saí a correr.

Fui até à estação dos correios do aeroporto e enviei as agulhas para a minha morada em Carcavelos.

Demoraram 5 dias. Mas chegaram.

 

Foi com elas que aprendi tudo o que sei.

Depois delas já comprei muitas mais.

Tenho de todos os tamanhos e feitios, de vários materiais.

Mas estas são especiais.

Ainda há pouco tricotei com elas o casaquinho da minha sobrinha que nasce em Outubro!

O casaquinho da Margarida!

margarida.png

 ...com elas sinto-me como o Harry Potter. Só que com duas varinhas. Mágicas.

As minhas agulhas transformam fios em sonhos.

E sonhos em realidade!

E não há nada melhor que transformar os sonhos em realidade...

02
Abr17

porque um só é pouco....

Joana Marques

Já tinha ouvido falar mas nunca os tinha visto.

Bobbel Cotton.

4(1).jpg

Tem 800 metros de comprimento.

O que é bom porque com um só podemos tricotar uma peça inteira.

A peça final pode ser lavada na máquina.

É composto por 4 fios fininhos que formam um só.

Só que estes 4 fios vão mudando de cor.

E por isso faz trabalhos únicos e lindíssimos.

4(3).jpg

Comecei a tricotar um xaile assimétrico.

Levezinho para o Verão.

Parece-me que aqui em Oslo todos os aconchegos são bem-vindos!

Comecei pela parte mais clara do Bobbel Cotton e por isso tive de desfazer o novelo.

3 (2) (1).JPG

É muito fácil de fazer.

É todo tricotado em liga.

Iniciamos com três pontos.

Carreiras ímpares: Tricotamos todos os pontos e no último fazemos um aumento.

Carreiras pares: Tricotamos um ponto, fazemos um aumento, tricotamos os pontos até aos dois últimos, tricotamos os dois últimos pontos juntos.

Devemos tricotar até o xaile ter mais ou menos 130 cm. Ou como gostarmos mais.

 

...um só projeto é pouco...dois é a conta certa!

...ou três, ou quatro....

 

19
Nov16

tricotar não é para meninos....

Joana Marques

peopleknitting_p47.png

 (homens a tricotar em público, Flórida 1918)

 

peopleknitting_p94.png

 (Um marinheiro italiano no início da Segunda Guerra Mundial)

tric14.png

 (trabalhador de uma fábrica, 1951)

 

 

tric.jpg

 (1880)

tric6 (1).jpg

 (taxista inglês, 1940, a tricotar entre viagens)

tric3 (1).jpg

 (rapazes de uma escola a tricotar para soldados da 1ª guerra mundial, 1918)

tric5.jpg

 (1939)

 

tric16.jpg

 (Joana Marques, 2016)

 

Todas as fotografias (à exceção da última)  estão num livro absolutamente delicioso: "People Knitting" de Barbara Levine.

 

Aproveitando a onda de pessoas improváveis que fazem tricot, neste site está outro exemplo!

Uma ternura!

Foi sugerido pela Ana Ferreira na caixa de comentários.

 (o Quiosque está no instagram e no facebook)

Mais sobre mim

foto do autor

Um grupo no facebook para quem gosta de crafts!

  •  
  • Sigam-me

    Instagram

    Comentários recentes

    • José da Xã

      A minha preocupação é o Vasco. Onde é que ele fica...

    • Aurea

      Que tudo corra pelo melhor, com muito sucesso e qu...

    • Marta Elle

      Eu adorava O Tal Canal. Eu teria uns 9 ou 10 anos ...

    • Sofia

      É o teu projecto, que está acima do blog, todos nó...

    • Joana Marques

      vou ficar uns tempos com o tempo contado...

    Calendário

    Setembro 2017

    D S T Q Q S S
    12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930

    Arquivo

    Mensagens

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.