Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kiosk da Joana

Kiosk da Joana

E por falar em desequilíbrios....

30.09.16, Joana Marques

Se há gente com medo de baratas, osgas, cobras e outras bichezas eu tenho medo de ir ao dentista.

Muito, muito medo.

Nunca tive uma dor de dentes na vida.

Sempre fui muito bem tratada por todos os dentistas onde fui.

É um medo irracional. Inexplicável. E parvo.

 

Já lá vão dois anos que comecei a planear a minha ida ao dentista.

Leram bem dois anos.

É uma fobia tão grande que preciso de planear tudo com antecedência.

 

Há um ano atrás, a massa de um dente caiu.

E eu achei...tem de ser agora.

Agora, agora não que não tenho tempo.

....vou em Dezembro. Tenho uns dias de férias, é mais fácil.

Natal? Não dá jeito. A família é grande e tenho de os visitar. Vou na Páscoa. É mais tranquilo.

 

Em Junho, comecei a sentir umas areias na boca. Era o dente a partir aos bocadinhos.

Tenho mesmo de ir ao dentista.

Pensei num plano B.

Precisava de ajuda especializada.

Fui à farmácia.

- Sr Fonseca, preciso de ir ao dentista, tem por aí alguma coisa que me ajude?

- Tens dores? Já experimentaste um paracetamol. Brufen?

- PRECISO DE CALMANTES!!

O Sr. Fonseca desmancha-se a rir. Vai às gavetas e lá trás uma caixinha.

- Experimenta estes.

- São fortes?? Preciso de alguma coisa que me tire temporariamente as emoções.

- Ah! Ah!

E depois fez-me aquele discurso da praxe que toda a gente faz. Não custa nada. Vais ver que passa num instante...e não sei mais o quê... desligo a partir da segunda frase.

 

Levei a caixa dos calmantes para casa.

Olho para eles.

Branquinhos.

Discretos.

Pensei, tenho de ensaiar primeiro.

Se isto acalma mas depois tenho uma crise de falta de ar?

Ou vómitos?

Ou outro qualquer desarranjo?

 

Tomo um.

E o que senti?? Nada.

Leio o folheto. Podemos tomar até 6. Senti-me endrominada.

Que raio de calmantes potentes são estes que se tomarmos uma overdose ainda ficamos finos? Precisava de algo que me adormecesse só com o cheiro.

No dia seguinte tomei 3 antes de dormir. Ás duas da manhã ainda, Joana, andava fresca e fofa pela casa fora.

 

Há duas semanas atrás, o dente partiu mesmo. Fiquei com um buraco do tamanho da Austrália.

Pensei:

Se calhar tem de ser.

Marquei uma consulta, foi ontem.

Na noite anterior:

- que se lixe, tomo a dose máxima. 6 comprimidos.

 

Dormi bem, como sempre durmo.

De manhã. Mais três compimidos.

 

O dentista é em Oeiras. Perto da casa da minha tia Luísa.

Fui de comboio porque estava tão nervosa que tive medo de pegar no carro.

Estava na estação de Carcavelos. Tinha vontade de fazer xixi. E de chorar.

Saí na estação de Santo Amaro.

Fui subindo a rua. A rua dos correios.

Tinha muita vontade de fazer xixi. Mesmo muita vontade. Nervos!!

 

Os calmantes estavam a funcionar em pleno.

 

Aliás, sentia medo de ir ao dentista; ódio à minha bexiga e rins; pena de mim própria; uma raiva brutal do SR. Fonseca da farmácia e feliz...porque o Sporting tinha ganho na terça-feira...como se pode ver...os calmantes tinham cortado MESMO todas as emoções!!

 

Toco em casa da minha tia Luísa às 8h30 da manhã. Ninguém, lá de casa, estranhou que Joana entre casa de banho adentro áquela hora da manhã....

O que é estranho nos outros, é aceite em mim....a minha família já leva 35 anos e meio disto......da minha pessoa....

 

Quando faltavam 10 minutos para a consulta lá fui.

Se soubesse que ía ser decapitada iria mais animada.

Quando lá cheguei dei logo de caras com o Dr. José.

É o meu dentista de sempre.

Já fui a outros mas volto sempre aqui.

Não tem aqueles aparelhos ultra modernos e uma cadeira em que ficamos virados de pernas para o ar mas compensa em perícia e rapidez.

Cada tratamento demora uns 5 a 10 minutos.

E no tratamento faz imensas pausas.

E por isso uma pessoa vai sobrevivendo.

Não faço fitas. Porto-me bem.

Mas quem olha para mim percebe tudo.

 

Saí de lá com o dente arranjado.

A minha boca tinha tanto desinfectante que, com um ÚNICO bafo, dava para extinguir todos os elefantes à face da terra.

Dei graças a Deus por não ter o carro comigo. E se fosse parada pela polícia? Deviam achar que eu tinha assaltado uma destilaria de WC Pato...

 

Pergunta-me o Dr. José:

- Tens dores?

- Não.

- Não deves comer durante duas a três horas. Com o tratamento que fiz podes começar a ter dor daqui a pouco. Se isso acontecer liga para cá ou aparece.

 

E então Joana, a verdadeira emergiu.

A deslumbrada.

A controladora.

E a sem noção.

- Não vou ter dor. Daqui a 3 horas embarco para Barcelona. Tenho muito trabalho para despachar lá. Sábado às 18h15 vou estar de rabo sentado em Guimarães ou não me chamo Joana!!

- Ah! pronto! Sendo assim fico mais descansado.

 

Ri-se o Dr. José, ri-se a assistente. E ri-me eu porque caí em mim .....ah! E os nervos?? Passaram...

 

Volto lá para a semana...e vai começar tudo de novo..

Pelo andar da carruagem...vou ter visitas ao dentista.....até à extinção dos elefantes...

o meu desequilíbrio é maior que o teu!

29.09.16, Joana Marques

Acordo cedo.

Muito cedo!

Às 6h já estou preparada para correr.

Um passeio marítimo. 7km.

A uma velocidade considerável. Porque estava com pressa.

 

Existem tesourinhos que só guardamos para nós. Vou ter de partilhar o meu.

Para além do equipamento de corrida. A maioria das vezes tenho fato de banho.

Depois de correr sabe MESMO bem um mergulho.

A praia só para mim. O mar só para mim.

 

7km. O corpo a explodir de calor.

A praia da Torre mesmo à mão de semear.

Tiro o equipamento.

Mergulho.

Tão bom!

 

Começo a sentir um ardor no braço.

C'um caneco....esqueci-me do penso, dos pontos, do corte e do braço.

Saí o mais rápido que consegui.

Vesti-me.

Vou a correr para casa.

 

Ligo ao meu tio.

O meu tio tinha feito uma cirurgia de urgência pela noite dentro, estava a chegar a casa.

- Joana, vou ligar para o hospital e vai lá ter. Alguém trata de ti.

Devia estar mesmo cansado porque nem uma palavra de recriminação, nem um ralhete, nada de nada! Quase deprimi..

Liga-me passado 10 minutos.

- Vais ser atendida pelo Dr. pedro M. da minha equipa. PORTA-TE BEM.

- Sempre.

- Joana...vê lá.

Não esteve com mais conversas...

 

Lá fui eu.

Cheguei. Esperei uns 15 minutos. Fui chamada ao gabinete.

Lá estava o Dr. Pedro. Cardiologista como o meu tio.

Estúpido, um cardiologista perder tempo a atender sobrinhas desmioladas...mas ele não me pareceu importar-se...uma simpatia o Dr. e giro...Bas Dost?? Quem é o Bas Dost???

 

Desinfectou a ferida.

Pôs um penso novo.

Deu-me um antibiótico, porque notou qualquer coisa no braço que eu não percebi.

Como tenho tendência para fazer alergia a medicamentos e já tive um susto grande em 2014, tive de lá ficar um pouco para ver o efeito.

Nada de especial.

 

Tive ordem de soltura.

Antes disso, recomendações várias.

Fiz um ar interessado e adulto.

Saí.

 

E tomei uma decisão.

Vou portar-me bem.......

............ou então, não...............ainda vou pensar...

 

sapo, sapinho...

28.09.16, Joana Marques

Gosto muito do meu Quiosque,

faz hoje dois meses este cantinho,

mas sinto todos os dias

a falta de um verdinho!

 

Querido Sapo,

não digas já que não,

queria pedir-te

um favorzinho…

pronto! É mesmo um favorzão..

podias ter na caixinha dos bonecos..

um verdinho coração?

 

 Tu que nos dás tantas  coisas

e nos tratas tão benzinho,

era fazer um esforço

e apostares num verdinho

 

Para mim é difícil,

Sportinguista dos quatro costados,

andar a usar os encarnados

Traição, Traição!

É como amar profundamente o Patrício

e dormir com o Luisão(cruzes canhoto!)

 

1 (1).JPG

Já que é para pedir

pedia mais uma coisinha

acham que era possível

ter um sapo Joaninha??

1 (14) (1).JPG

Se não der deixa lá,

não consegui levar a água ao meu moinho,

amigos na mesma...

mas a sério, mesmo a sério....

.......não se esqueçam do verdinho!

 

como ter muitos amigos...A receita!

27.09.16, Joana Marques

Uma pessoa tem em casa, fruta em estado pré-decomposição (muito madura).

Descasca-a e corta-a.

Duas nectarinas e meio ananás.

Põe em lume branco a fruta, 2 colheres de sopa de óleo de coco e um fio de azeite. Duas colheres de sopa de açúcar mascavado. Um pouco de noz moscada.

 

Fruta no ponto. Juntar um pouco de vinho rosé.

Flambear.

 

À parte forrar com massa folhada, formas de cupcake.

Encher as formas com a fruta.

Forno.

Tirar das formas quando estiver frio.

 

Servir com uma ou duas bolas de gelado de baunilha. Por cima, caramelo líquido.

Colocar a foto no Facebook.

1 (18).JPG

Contar até 10..

1, 2, 3, 4, 5, 6, 7.....

 

A vossa campaínha vai começar a tocar!

- Ah! e tal estava a passar por aqui perto e resolvi ver como estavas? Como é que está o teu braço??

 

Juntamos música do agrado de todos e temos um final de tarde perfeito!

limpinho, limpinho..

26.09.16, Joana Marques

Durante a semana fui fazendo inúmeros planos para o fim de semana.

Queria ir passar os melhores dias da semana à Sertã, a casa dos meus pais.

Saía na sexta-feira. Queria lá chegar por volta das 21h.

Só que não. #1

 

O Sporting jogava na sexta. E eu, graças à minha ida ao spa, não o fui ver jogar com o Rio-Ave. Ainda por cima perdeu. Tinha lá estar.

Ainda pensei ir depois do jogo. Voltava a Carcavelos para ir buscar o Vasco e ia finalmente para a Sertã. O que eu precisava de silêncio e sossego.

Só que não. #2

 

Encontrei uns amigos no jogo que iam à inauguração de uma exposição e acabei por ir com eles.

Cheguei a casa às 2h da manhã. Muito tarde para me fazer à estrada.

Sábado de manhã resolvi ficar. Fui correr às 8h da manhã. 7 km. E depois:

Passear o cão. Organizar a semana. Compras. Limpezas. Listas.

 

Liga-me o meu irmão.

- Amanhã, Serra de Sintra. O pessoal do costume?

Estava a convidar-me para um trail.

-

Adoro!

Correr no Passeio Marítimo como faço, dá para ir mantendo.

Sair da minha zona de conforto. Precisava de sair mais. Nem sempre dá.

 

Domingo. Saí de casa às 6h. Rumo a Cascais. Cheguei a casa do meu irmão. Nem vi os meus sobrinhos nem a minha cunhada. Ainda estavam a dormir.

 

Chegámos ao nosso ponto de encontro em Sintra ainda não eram 7h.

Iniciámos o trail pela Serra. 15 km aproximadamente.

 

O melhor..é tudo! É a parte do exercício físico porque puxa mesmo por nós. Por mim pelo menos que estou habituada ao conforto do chão plano e certo do Paredão de Oeiras. Os trilhos são espectaculares. A paisagem é maravilhosa.

 

E Joana acha que está no paraíso.

E Joana vai a planar na Serra de Sintra.

E Joana acha que a vida é bela.

E Joana não vê onde põe os pés.

 

Penálti!

Só que não. #3

 

E Joana cai ...epicamente como convém.

E Joana rasga um braço todo. Dói....para $%#$&%&. E deita sangue que nunca mais acaba. E ainda faltam 5 km.

E toda a gente vai ao encontro da Joana.

 

Querem chamar o 112, os Bombeiros, a GNR, a Polícia Montada a Cavalo, a Marinha, o Instituto de Socorros a Náufragos...posso estar a fazer confusão mas até se falou em Bas Dost ()... não garanto, pode ter sido do calor do momento..

Enrolo a camisola de manga comprida que tinha dentro da mochila ao braço e lá continuo.

Chegámos ao fim.

 

Ligo para o meu tio espectacular (lê o blog).

- Tenho um braço em mau estado. Podes ver?

- Passa por cá.

Lá foi o meu irmão comigo a casa do meu tio. O meu irmão tem tanta paciência.

Raspanete do tio. Raspanete da tia. Raspanete do irmão.

- Já acabaram? Fix it, please.

 

Nitidamente o meu tio não frequentou o meu workshop de bordados...eu, Joana aprendi com a melhor, a Jubela. Mais, arrisco a dizer que se baldou à aula de costura na faculdade...

 

-Ponto pé de flor??

- Não!

Ponto cruz?

- Nop!

Ponto Margarida...vá-lá!!!! Por favor, por favor, por favor!!!!!!! Please, please, please!!

- ????

 

..........FreeStyle....e siga.......

 Diz o meu tio que daqui a um tempinho mal se vai notar..

trail.jpg

 

Qual é o teu cantor preferido?

24.09.16, Joana Marques
Tinha 10 anos e foi a minha tia Carminho que me perguntou.
 
Eu respondi: 
 
a-ha
 

 

A minha mãe ouviu e achou que eu estava a gozar com a minha tia.
E assim ganhei um mês de castigo.
Só escola.
Nada mais!
A minha vida social arruinada..
Nem me dei ao trabalho de explicar porque a minha mãe era menina para me dobrar o castigo.
Era assim que se resolviam as coisas no fim dos anos 80 príncipio dos anos 90.
 
Bem vistas as coisas passei uma grande parte da minha infância de castigo..

Um dia no Spa...

23.09.16, Joana Marques

Sou mulher.

A minha aparência sempre foi muito feminina.

Muitos dos meus gostos são femininos.

 

Desde sempre que tenho problemas de adaptação ao género femino.

Não percebo do que falam.

Falam de programas de televisão que desconheço.

Falam de artigos de maquilhagem que eu nunca ouvi falar.

Falam de peças de roupa que eu não tinha ideia que existiam.

 

Vem-me à cabeça quando tinha 15 anos e estava com as minhas primas mais velhas e começaram a falar de cuecas de gola alta e eu saí-me com:

- gola alta?? Não são só para as camisolas?

Ficaram 10 olhos a olhar para mim com desdém e eu nunca mais perguntei nada a ninguém.

Se não sei, fico calada e vou ao google.

Aprendi a lição.

 

A minha casa de banho parece a de um homem. Tenho tão pouca cosmética que qualquer mulher que lá entra sai em choque.

Tenho um baton, uma máscara para olhos à prova de água que eu sou uma chorona, um baton para o cieiro, um bb cream, uma base, um blush e um protetor solar que uso todo o ano. Lavo a cara todas as manhã e todas as noites com um sabonete feito por mim. Tenho um creme para a cara e um óleo para o corpo. Pronto, tenho um pouco mais que a maioria dos homens.

 

Vou três vezes por ano ao cabeleireiro cortar pontas.

O meu cabeleireiro, Zé, liga-me às vezes, sobretudo para saber se ainda estou viva.

 

Prefiro mil vezes comprar as compras do dia a dia (matéria prima para os meus cozinhados) do que roupa.

Roupa compro por atacado, assim só se estraga um dia. Ou online e não se estraga dia nenhum!

Sapatos...é que pode ser hoje, amanhã e todos os dias...

 

Quando fiz anos a minha amiga Cristina deu-me como prenda um dia no Spa. É uma espécie de vale com tratamentos. Uma pessoa entra às 10h da manhã de um dia e sai às 17h.

- Tem calma, eu vou contigo. Disse, ela, quando viu a minha cara de pânico.

 

Fiz anos em Fevereiro.

Fui protelando a ida ao Spa.

- Não posso esta semana.

- Vou para fora.

- Estou cheia de trabalho.

- Vou passar o fim de semana ao Alentejo.

Uma coleção de desculpas.

O vale tinha validade de 6 meses. Sendo que ia acabar em Agosto.

Cristina, Santa Cristina foi ao Spa pedir:

POR FAVOR, prolonguem a validade!!

E eles, simpáticos, queridos e fofos deram mais um mês.

 

Terminava dia 20 de setembro.

E por isso quando a Cristina me ligou a semana passada a dizer:

- Se não vais, nunca mais te falo!

Não me veio à cabeça nenhuma desculpa e lá fui.

Deprimida, mas fui.

A ideia de gastar assim o domingo deu-me vontade de chorar.

Fomos recebidas maravilhosamente.

A ideia de ficar aquele tempo todo em tratamentos stressou-me.

 

Comecei por fazer uma esfoliação ao corpo, tendo agora uma pele mais macia que a de um bebé. Já passou quase uma semana e parece seda...

Arranjei logo um estratagema enquanto estava no primeiro tratamento para me debruçar sobre algo mais produtivo..o telemóvel.

Estava eu entretida a responder a alguns comentários do blog quando umas mãos vis me tiraram o telemóvel...não queria acreditar. Uma alemã de quase dois metros de altura. Uma aventesma sem escrúpulos. Eram 10h30..para as 17h ainda tinha muito que penar.

 

Seguiu-se uma massagem aos pés, pernas, costas, barriga, rabo, braços e chegaram às mãos.

- Como é que tem as mãos neste estado?

- Sou camionista.

O olhar da Cristina estava a querer dizer asneiras de 1,5kg e eu contei a verdade toda a verdade.

 

Fomos almoçar.

1+1=2

O almoço era um chá e uma salada.

Estava tudo bom.

Mas era um chá e uma salada.

 

Seguiu-se um tratamento capilar qualquer, tendo agora um cabelo espectacularmente hidratado e bonito. Não é ironia está mesmo....lindo..

 

Tinha fome.

Fiz um tratamento anti-celulite.

- Não tenho celulite.

- Deve ter qualquer coisa.

- Vá-lá buscar uma lupa...

O olhar da Cristina....toda a cara da Cristina

Tive medo. E fome.

 

A pele da cara foi limpa, esfoliada.

Muita fome.

Fiz um peeling.

Estou a falecer com fome.

Fiz uma massagem purificante.

.................................................................................tinha mesmo muita fome.

Fiz uma massagem hidratante.

A minha cara está com tão bom aspecto que eu achei que tinha 17 anos outra vez.

No final fez-me uma massagem com chocolate.

Ainda tive esperança que fosse para comer...

Um chá e uma salada...

Estava desorientada de fome...ainda se eu pudesse chegar à minha carteira para poder sacar a minha bananinha...ou a maçã ou a barrita de cereais..

 

No final de contas..

Gostei.

A verdade é essa.

Gostei muito. Gostei muito dos resultados...

Passar outro domingo assim...não...

the joke is on you...

22.09.16, Joana Marques

Cheguei ao trabalho cedo.

Primeiro que toda a gente.

Gosto da sala de trabalho com vida. Mas o silêncio da manhã é ouro!

 

Tive uma reunião cedo.

 

Saí do trabalho para uma reunião em Queluz.

Completamente perdida.

- Pode-me dizer como é que vou para Queluz?

- Isto é Queluz..

- ah! Eu sei!

(não sabia nada....)

 

Estaciono o carro.

Ainda troco umas mensagens com uma pessoa espetacular...que ainda estou a conhecer.

 

Procuro a morada.

Identifico a minha segunda vítima.

- Sabe-me dizer onde é que fica a Rua bla bla wiskas saquetas, número %&

- Olhe para ali!

Apontou para a placa com o nome da rua..

Leio.....Rua bla bla wiskas saquetas

 

Reúno.

 

Tenho outra reunião em Paço d'Arcos.

Como é que eu vou para Paço d'Arcos?? Como é que eu vou para Paço d'Arcos??

Vou perguntar...

Não!

As pessoas têm a mania de dizer vire à esquerda, depois à direita e eu sempre tive problemas na identificação destas duas...

 

Arranjei uma alternativa mais viável.

Avisto um autocarro que diz Cruz-Quebrada e sigo-o.

Quando estiver na Cruz Quebrada já conheço o caminho.

Joana, atrás do autocarro.

O autocarro pára, Joana pára.

Os carros param...eu já desconfiava que era uma mulher que fazia parar o trânsito...ontem tive a certeza!

 

Chego a Paço d'Arcos pelas 11h45.

Diz-me o Dr. Pedro.

- E se fossemos almoçar?

Fomos.

- Tem alguma preferência?

- Tenho. Chinês, em Oeiras...pode ser?

- Sabe onde é?

- Sei.

Lá fomos. Um frango com amêndoas absolutamente divinal.

É incrível como a comida me dá felicidade. Muita felicidade.

Fizemos a reunião ao almoço. Voltei só para ir buscar o carro.

 

Já não voltei a Lisboa. Cheguei a casa e continuei a trabalhar. Maravilhas da Internet.

 

Toca a campainha.

Sr Ludovino.

- Joana, vais às compras?

- Precisa de alguma coisa.

- Preciso.

- Pode ser às quatro.

- Pode.

 

Lá fomos.

Aproveitei e trouxe algumas coisas. Fruta, principalmente.

Vamos pagar.

- Não posso baixar-me por causa da hérnia discal...

Tirei as coisa do Sr. Ludovino do cesto.

Ponho no tapete.

Tiro as minhas coisas do cesto e ponho atrás.

- Pára tudo. Esqueci-me do sal. Diz o Senhor Ludovino.

Vai buscar o sal.

 

Entretanto aparece um rapazinho de muletas com uma coca-cola.

Deixo-o passar, primeiro porque está de muletas, depois porque só tem uma coisa para pagar.

Vem o Sr. Ludovino. Barra-lhe a passagem.

- Nem pensar! Eu sou velho! E ela está grávida!!

 

Ainda olho para trás e para os lados para ver se está alguma grávida nas imediações...

Faço um olhar entre o incrédulo e o horror.

- Parabéns! Vai ser avô. Diz a senhora da caixa.

 

Põe-me um braço nos ombros e diz:

- Não é minha filha! Somos amantes!

 

Eu olho para rapazinho das muletas e para a senhora da caixa ...e digo..

- Não é dele. One night stand com o Espírito Santo...

 

Frustração...ninguém percebeu a minha piada..

Sr Cão #7

21.09.16, Joana Marques

Há algum tempo que faço voluntariado num canil.

Neste últimos tempos tenho sido menos assídua mas tento passar por lá pelo uma vez por semana.

Mais ou menos há dois anos e meio fui chamada para resgatar uma ninhada de cães. Fui eu, a Sónia e o Rui.

Quando lá chegámos eram 6 cachorros +1.

Este +1 era o meu cão!

 

O Rui, veterinário disse-nos que embora estivessem esfomeados e em mau estado tinham salvação, aquele outro cachorro...o Rui, encolheu os ombros...
Para além de esfomeado, suspeitava-se que tivesse sido atropelado, tinha um fungo na pele, quase não tinha pêlo.

O prognóstico era negro...

 

Fiquei com ele.

Se é para morrer que não morra sozinho.

Levei-o para casa e passei a noite toda, sentada no chão da cozinha, a mimar o cão.

O Rui tinha-me preparado duas seringas grandes com leite, uma com antibiótico e mais qualquer coisa, outra com vitaminas.

Ia-lhe dando o preparado mas não parecia ficar lá nada.

De manhã ainda estava vivo e eu comecei a acalentar alguma esperança.

O Rui dizia-me que era tonta.

 

Liguei para o trabalho a dizer que ia de férias.

Fiquei uma semana em casa.

Fui despachando trabalho em casa mas as minhas horas e minutos eram dele.

Uns dias depois abriu os olhos e começou a comer melhor.

O pêlo melhorou.

Começou a fazer barulhinhos.

 

Não tinha nome.

Estava sentada no chão da cozinha com o cão ao meu colo. Ele dormitava. Liguei a televisão. Estavam a falar de um locutor antigo da televisão, Vasco Granja.

E eu disse:

-Granja!

Nada.

Depois disse:

- Vasco.

E ele abriu os olhos.

- Olha! És Vasco!

 

A partir dali foi sempre a melhorar.

Ou a piorar, depende do ponto de vista.

A melhorar no que diz respeito à saúde.

A piorar no que toca ao comportamento.

Para não ficar sozinho levava-o para o trabalho.

Foi mimado até mais não.

Ainda hoje é.

Tem um feitiozinho...

Mas é o senhor simpatia e vive todos os dias como se fosse o último.

 

vasco456.jpg

A prova de que basta uma pequena ajuda para nos erguermos de novo.

Eu ajudei-o uma vez.

Ele ajuda-me todos os dias.

 

Pág. 1/3