Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

em 1981...

30.12.16, Joana Marques

O ano em que eu nasci foi assim...

14.jpg

Curiosidades engraçadas e factos que eu desconhecia. Por exemplo: quem ganhou os óscares nesse ano, o livro de maior sucesso, ou a canção do ano:

 

"Her hair is Harlow gold, her lips sweet surprise
Her hands are never cold, she's got Bette Davis eyes
She'll turn the music on you, you won't have to think twice
She's pure as New York snow, she got Bette Davis eyes"

 

 

É só entrar e colocar o ano de nascimento....

Boa viagem!

 

a nossa âncora...

29.12.16, Joana Marques

Foi neste espaço que desabafei. Será aqui o espaço ideal para agradecer.

 

Se me perguntarem o que escrevi no dia 26 vou dizer-vos que não faço ideia.

Sei que me sentia muito perdida. E muito triste. E foi a forma que encontrei de começar a reagir.

Não consigo ler o post.

Se o ler vou novamente viajar para o dia 26 de Dezembro e é um dia que não quero revisitar.

Nem esse, nem os anteriores.

Decidi não colocar os comentário feitos (que foram muitos) por vocês.

O post não foi feito para ter destaque, estar na lista dos mais lidos ou dos mais comentados.

O post, foi o mais pessoal que já escrevi e interrogo-me se o devia ter publicado ou não.

Acho que fiz bem. Todos os comentários que recebi, todos, me deram alento, muito alento.

Os mail's.

As mensagens.

Todos eles fizeram a diferença.

Todos eles me salvaram nesse dia.

Tenho a certeza que muita gente leu, não comentou mas enviou energias positivas. Tantas vezes faço isso também. Leio post's e não encontro as palavras certas para comentar.

Agradeço a todos.

 

Não está a ser fácil.

Para mim não está a ser fácil.

A dor é algo pessoal e sou eu que tenho de a saber gerir.

 

Sempre fui uma pessoa muito otimista.

Insuportavelmente otimista.

E a verdade é que ao poucos o otimismo começa a voltar.

A verdade é que nós os amigos mais chegados e família temos em mãos algo que não podemos falhar.

Não apaga a dor.

Nem a saudade.

Mas dá-nos energia para continuar.

Todas as crianças precisam de um ambiente saudável.

Não posso mudar a vida de todas mas posso contribuir para a felicidade de uma em particular.

Eu e todos os que lhe somos próximos.  

 

A nossa âncora:

tem um mês e seis dias;

2,800 kg;

é uma comilona;

e dorminhoca;

tem uns olhos lindos..

e chama-se Leonor.

 

um minuto de cada vez...

26.12.16, Joana Marques

...levantar, correr, ir trabalhar, comer...funcionar...de alguma maneira..

 

No dia 22, depois de almoço recebo uma chamada.

Uma chamada que já esperava há muito tempo.

Era inevitável, mais dia menos dia.

Todos os dias tinha medo de atender o telefone.

Sempre que ouvia o telefone tocar ficava com medo...quinta-feira foi o dia.

A Catarina morreu.

 

Estava em Barcelona.

Os meus pais.

O meu irmão, cunhada e sobrinho, também.

Tentei arranjar voo para Lisboa o mais rápido possível.

Não consegui.

Consegui um voo para o Porto.

Fui para o Porto, aluguei um carro e vim até Lisboa.

Cheguei tarde.

Passei pelo velório.

Dormi em casa de uma amiga.

Dia 23.

Fui ao funeral.

Em choque, eu e todos os que lá estávamos.

Que desperdício tão grande.

A vida é tão injusta.

 

Ainda passei pelo meu trabalho.

Precisava de estar com pessoas que gosto.

De as abraçar.

 

Tentei arranjar voo para Barcelona, Madrid..qualquer cidade espanhola.

Não consegui.

Vésperas de Natal.

Tinha duas opções ou esperava pela manhã de dia 24 e por um milagre, ou melhor por um lugar vago num avião, ou fazia-me à estrada e ia para Barcelona de carro.

Esta última opção não me entusiasmava minimamente.

Estava cansada, tinha fome mas não conseguia comer, estava dorida.

Apetecia-me deitar e acordar no ano 3000.

Esperei.

Comecei a achar que devia esperar pelo sábado.

Por outro lado pensava nos meus pais, irmão, cunhada e sobrinhos.

Saíram de Portugal para me fazer companhia no Natal e eu podia não estar presente.

 

Achei que não devia ser eu a decidir.

Devia ser o universo, o destino...qualquer entidade menos eu.

Deviam ser umas seis da tarde enviei uma mensagem com votos de Feliz Natal a uma pessoa.

Achei que me ia responder logo.

Achei que pudéssemos falar e combinar um jantar.

Fiz o filme todo na minha cabeça se ele estivesse livre jantávamos e eu tentava ir sábado de manhã.

Se ele não estivesse livre pegava no carro e ia até Barcelona.

É claro que quando fazemos planos existe uma forte probabilidade de saírem furados.

Ele não me respondeu.

Pensei: espero cinco minutos e vou.

Esperei meia hora.

 

E fui.

Disse aos meus pais que só ia de manhã para não ficarem preocupados.

E fui.

Uma viagem sem fim.

Parei no caminho durante uma hora para descansar.

Já tinha resposta à mensagem enviada.

Chorei a maior parte do caminho.

Devo ter esgotado as lágrimas que tinha para esta e a próxima vida.

Cheguei.

Nem sei bem as horas.

Ainda descansei.

Funcionei como uma pessoa normal dia 24 e dia 25.

Não sei como consegui mas fiz um esforço grande.

Devia isso à minha família, principalmente aos meus sobrinhos que são crianças e precisam de ter boas memórias do que é o Natal.

 

A partir de agora é mais difícil.

Estou sozinha.

A vida é assim.

Como se costuma dizer o que não nos mata torna-nos mais fortes.

Neste momento nem sequer quero ser forte....

....um minuto de cada vez, pode ser?

 

Natal! estou pronta...

21.12.16, Joana Marques

Já tenho árvore de Natal.

Muito pouco tradicional mas tenho!

Improvisei também um presépio.

Com uns preguinhos e uma linha de algodão.

Ficará como centro de mesa.

presepio2.jpg

Já tenho as prendas todas compradas e não vejo a hora de ver a reação de quem as vai receber.

 

Já comprei tudo o que precisava para a ceia e para o dia de Natal.

O cabrito para a noite de Natal como fazia a avó Maria.

Só falta pô-lo num molhinho bom 12 horas antes de ser assado.

Para ir ao forno 4 horas antes de ser comido.

 

O peru assado para o dia de Natal como fazia a avó Adélia.

E o seu famoso recheio de castanhas que eu tento imitar todos anos mas que nunca fica tão bom.

Algum segredo que não está no livro de receitas que herdei!

 

O pão é feito sexta-feira.

E os bolos e bolachas também.

O arroz doce como a avó Maria fazia é feito sábado que é bom é quentinho.

E as fatias douradas da avó Adélia também.

 

O Natal também é isto.

É recordar os nossos que já cá não estão fisicamente.

Continuam vivos, bem vivos nos nossos corações.

 

A minha família chegou há 15 minutos atrás.

 

Por isso podes chegar, Natal!

Estou pronta!

...a revolta da árvore de Natal...

20.12.16, Joana Marques

Já deitada e quase adormecida começo a ouvir um barulho...

...não percebi logo o que era...

- se fosse um ladrão o cão já tinha dado sinal...não deve ser nada...

Deixei de ouvir o barulho e adormeci...

De manhã acordei e deparei-me com isto....

arvoredenatal1.jpg

 

Como estou numa casa que não é minha tive cuidado ao colar os corações.

Usei uma fita-cola normal.

Garantidamente quando retirasse da parede ficaria tudo na mesma...sem marcas.

Só que....

 

Mudei de estratégia...

Comprei fita-cola, daquela que cola slimani's ao tecto...

E já tenho novamente uma árvore de Natal.

 

natal4.jpg

 Claro está, quando sair desta casa vai ter de ser fugida à polícia, senhoria e corpo de intervenção.....pela calada da noite...sem ninguém dar conta...

...muito prático se considerarmos que tenho de levar na mão direita uma mala e na esquerda, um cão e um coelho....facílimo......

 

A Simone fez uma árvore de Natal tão gira! Já viram?

a resposta do Pai Natal...

19.12.16, Joana Marques

Cara, Joana

foi com muito gosto que recebi a tua carta.

....em relação à família Marques...

...podes considerar o teu desejo realizado...

...................

.....mas....

....em relação ao teu pedido...

...vou ver o que posso fazer....

...não é fácil....

...diria mesmo que...

..não é nada, nada fácil....

........

Joaninha, Joaninha..

eu sei que é Natal...

..como é que te posso dizer isto...

...não é possível realizar o teu pedido...

... sou só o Pai Natal...

...............................

não sou o Slimani....

...ou o Acosta...

nem o Jardel (o verdadeiro...)

....tão pouco o Manuel Fernandes...

.......

 

não quererás mudar de pedido?

para algo exequível?

...muda....

..depressa

ou ainda ficas sem prenda!

.........

.......

.........

Posso dar uma ideia??

...um panda?

...uma foca?

...um Bas Dost?

....um dinossauro??

...um unicórnio??

...é só escolheres..

.......agora, o Sporting campeão...

pai natal.pngAssinado: O Pai Natal

pedido ao Pai Natal!

19.12.16, Joana Marques

A minha irmã, o meu cunhado e dois dos meus sobrinhos, a Inês e o Pedro estiveram cá este fim de semana.

Como vão passar o Natal a casa dos pais do Zé (o meu cunhado) antecipámos o Natal.

A sortuda fui eu que assim tenho dois Natais.

No fim da semana chegam os meus pais e o meu irmão, cunhada e sobrinhos.

Só me falta fazer tracinhos na parede como os condenados...não vejo a hora.

Estar longe de casa não é a parte má. A parte má é estar longe dos nossos.

 

Fui buscar a minha irmã e família ao aeroporto.

A minha irmã vinha cheia de planos.

Quem diz planos, diz compras.

Até me benzi.

Meu rico fim de semana.

 

O meu sobrinho Pedro e o meu cunhado descartaram-se logo. Tal programa não os interessava.

A Inês ainda pensou, tornou a pensar. Em dúvida, se acompanhava a mãe e a tia ou o pai e o irmão.

- Tens a certeza que queres ir com a mãe às compras? Perguntou-lhe o irmão.

- Vou com vocês.

Escolheu o pai e o irmão.

E eu?

Eu não tive escolha.

 

Já conheço a cidade relativamente bem.

Conheço lojas que os turistas normalmente não vão.

Conheço recantos que só quem cá mora sabe.

Encaminho a minha irmã.

Sempre a pé.

Palmilhamos ruas, atravessamos estradas.

Entramos em lojas.

Apresento-lhe uma loja de roupa que adoro.

Uma cliente deixa uma peça desarrumada e eu a embaladora de sonhos vou para dobrar tudo direitinho.

A minha irmã vê e dá-me uma palmada...no rabo!

Nasci irmã mais nova, vou ser a irmã mais nova para sempre...

 

Andamos mais um bocado.

Fazemos km.

Subimos ruas.

Subimos escadas.

Entramos em mais lojas.

Puxo a minha irmã.

Aconselho-a nas peças a escolher....ela aceitou os conselhos?

Nasci irmã mais nova, vou ser a irmã mais nova para sempre...

 

Percorremos a cidade, continuamos em andamento, sempre a entrar e a sair de lojas.

Cheias de sacos e sacolas.

Até que a minha irmã me pede para parar.

- Já viste as horas?

Olho para o relógio..

- Estamos nisto desde 13h..

Eram 19h..

- É melhor entrar, sentar e comer qualquer coisa. Diz a minha irmã com um ar estafado.

- Até estou com falta de ar, Joana. Continua a minha irmã.

A minha irmã não é asmática, eu sou!

E eu, estava novinha em folha.

 

Caro, Pai Natal...

...era um suplemento vitamínico para a família Marques Se Faz Favor!

Para mim, como vês, não é preciso....por isso pode ser

.........o Sporting campeão!!

 

pai natal.png

 

the sin...

18.12.16, Joana Marques

Já é uma tradição em minha casa..

Uma semana antes de Natal até ao primeiro dia do ano é em minha casa que o encontram...

Um petisco natalício. Muito fácil de fazer. Cheio de calorias. Um verdadeiro pecado...

2 (1).JPG

 

A receita:

Colocar amêndoas a torrar no forno.

Numa frigideira anti-aderente colocar um pouco de água (muito, muito pouca...uma colher de sopa, talvez) e açúcar a gosto (uso de coco mas pode ser usado um qualquer), canela a gosto e uma colher de café de açafrão. Ir mexendo.

Quando as amêndoas estiverem torradas colocar dentro da frigideira. Mexer tudo muito bem.

 

Quando dou jantares em época de Natal costumo servir em copos de shots.

Faz-me confusão aquelas taças grandes de frutos secos onde toda a gente põe as mãos...blhec..

Como não estou em casa tive de improvisar e pintei uma chávena...para a ocasião.

 

...embaladora de sonhos...

16.12.16, Joana Marques

O Natal para mim só faz sentido se for relaxado.

É um momento em família e para a família.

Em matéria de presentes, na minha família, nós os adultos sorteamos, tipo amigo secreto.

O sorteio faz-se no Natal anterior para sabermos com antecedência.

Quando chegamos à idade adulta, já temos casa e recheio, já temos tudo.

Não precisamos de muito mais.

 

Damos presentes às crianças.

O Natal é das crianças.

Os meus sobrinhos mais velhos vão com um cheque Fnac e um miminho só para saberem que me lembrei deles.

Para o meu familiar secreto durante o ano encontro a prenda perfeita.

Para os meus sobrinhos mais novos é que tenho de me esmerar.

Estar a par das últimas modas.

 

Já tenho o presente deles mas queria acrescentar mais qualquer coisa.

Um pouco mais lúdico.

Passei pela Fnac.

À minha sobrinha comprei um livro que a minha cunhada me disse que ela queria e ao meu sobrinho comprei um carro.

Fiquei na fila para embrulhar o livro e o carro.

O carro tinha um formato esquisito. Era difícil de embrulhar. Pelo menos parecia.

 

À minha frente estava uma senhora que deve ter uma família do tamanho da Austrália.

Eu que sou uma calmaria mas não gosto de estar sem fazer nada, tive de me pôr a mexer.

Perguntei à rapariga que estava a embrulhar se podia tirar um envelope para eu própria embrulhar o livro.

Disse-me que sim. Que podia.

Tiro o preço, ponho o livro no envelope, fecho com fita-cola, ponho uma etiqueta.

 

Nisto, um casal, à volta dos 60 anos passa-me um livro para as mãos.

Ainda lhes digo que não trabalho ali mas eles não perceberam...

Espetacular, espanholês...Joaninha!

Assim, como assim, tenho de esperar para embrulhar o carro.

Tiro o preço, colo com fita-cola o talão de troca, ponho o livro no envelope, fecho com fita-cola, ponho uma etiqueta, coloco dentro do saco.

Apercebo-me que não são espanhois. São holandeses.

Rio-me para mim..afinal a culpa não é do meu espanholês...

Eles riem-se para mim..também..

 

Atrás deles está uma senhora com uma bebé ao colo.

Dá-me dois livros e uma boneca.

Embrulho os livros e indico-lhe a fila verdadeira para embrulhar a boneca que não cabe em nenhum dos envelopes.

Deve pensar que eu reprovei na formação de embrulhos de Natal e só passei no módulo: "embrulhar em envelope".

 

Atrás está um senhor que me dá para as mãos uma biografia de Gaudí e me pede para escrever na etiqueta: Klaus.

Ainda fiz um trocadilho:

- Santa Klaus??

O senhor sorri.

 

E eu, deslumbrada como sou...senti-me nas nuvens..

..todos sabemos que muitos presentes de Natal são compradas porque sim, porque temos de oferecer qualquer coisa...

 

...mas outros não...

..são presentes especiais...

...nunca serão esquecidos..

 

....e estes foram embrulhados por mim..

 

por uns minutos fui:

Joana

a embaladora de sonhos..

 

 

Pág. 1/2