Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

que falta de chá...

05.01.18, Joana Marques

Quando era pequena queria ser crescida.

Acho que é comum a muitas crianças.

Sentar-me à mesa com a minha avó a beber um chá dava-me a ilusão de ser crescida.

A minha avó bebia chá todos os dias. Cidreira.

E eu nem era apreciadora. Mas bebia só para me sentir crescida.

Era um dos momentos preferidos do meu dia.

 

A verdade é que este pequeno prazer tornou-se um vicio. E hoje em dia não passo sem beber chá.

Adoro chá.

Cidreira como o que a minha avó bebia. Mas não só.

A oferta é tão vasta que é uma pena ficarmos só pela cidreira.

 

Sabem aquelas pessoas que temos de dar algum presente e não sabemos bem o quê e acabamos por recorrer a chocolates?

Pois no meu caso é chá. Os meus amigos oferecem-me chá.

Quando me querem oferecer um mimo. Esse mimo é chá. Sempre chá. E eu fico nas nuvens.

 

Hoje passou por aqui a minha amiga Ana e a minha amiga Cátia.

Queriam conhecer a Alice. Conheceram a bela adormecida.

Trouxeram-lhe um presente.

E um mimo para mim. Chá!

De uma das minhas marcas preferidas. Pukka.

detox.jpg

Adorei, mas estranhei o risinho e as gargalhadas.

E depois, fez-se luz na minha cabeça...

Ainda esta semana comi comida de gato....que falta de chá!

E um detox vem mesmo a calhar!

 

é assim que me recebem??

05.01.18, Joana Marques

Saí de casa cedo. Precisava ir a Lisboa tratar de algumas questões, na loja do cidadão.

Fui ao meu antigo trabalho. Devia uma visita desde nem sei quando.

Aproveitei para almoçar com duas amigas.

Palavra puxa palavra. E as conversas são como as cerejas. Quando olhei para o relógio já eram 15 horas.

Demorei uma eternidade para chegar a casa. Isto com chuva é outra coisa......

São Pedro entusiasmado. Toca de atirar água cá para baixo...ou foi a Carmen??? Isto agora tem nome de gente...

 

Deixei a Alice com os meus pais. E o Vasco também....

Ainda lhe dei o pequeno almoço. À Alice. E ao Vasco enchi a tigela da comida e da água...

Chovia. Chovia. Chovia.

Ganhei coragem e fiz-me à estrada.

 

Cheguei.

Vasco amuado. Porque me ausentei o dia todo. É normal no bicho.

Ainda por cima passei o mês de Dezembro com a perna partida, sempre em casa e com ele. Deve pensar que me aposentei....

 

Alice.

Quando me viu fez as maiores trombas da história. Nem os elefantes...meus amigos, nem os elefantes!

Demorei um bocado a conseguir conquistá-la de novo. E a fazê-la rir.

Parece que não gostou muito do abandono materno.

 

Quando a entreguei à minha mãe para poder ir à casa de banho.

Começou num berreiro que se ouviu...na margem sul.

Demorei muito tempo a acalmá-la. E agora adormeceu.

O Vasco já se juntou a mim.

Faz-se de ofendido mas dura pouco tempo.

 

 

vasco (6).jpg

O dia todo fora. Chuva. E frio. Ah! E a loja do cidadão...

Ansiosa por voltar para casa.

E é assim que me recebem....