Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

quadragésimo sétimo. em primeiro

10.04.18, Joana Marques

Este blog.

De nome, quiosque. Da Joana.

Iniciado a 28 de Julho de 2016.

Foi, hoje surpreendido. Ele, quiosque. E eu, Joana.

 

No primeiro dia de blog. Em 2016.

Inscrevi-me no blogs Portugal. Um ranking de blogs. Nem sei porque é que o fiz...

...acho que foi sobretudo porque o widget tem um contador que me dá jeito.

No inicio olhava muito para o contador...hoje em dia é raro.

 

Mas habituei-me a ir ver em que posição está o quiosque.

Influencia alguma coisa?

Não.

É mera curiosidade.

 

Quando tenho um destaque na página principal do sapo subo alguns degraus.

Mas o quiosque tem pouca expressão e mal passa o efeito sapo desce que é uma beleza.

Segundo sei o blogs Portugal conta o último mês de visualizações.

Quando passam esses 30 dias...paraquedas, se faz favor!

 

Estamos organizados por categoria.

Quando me inscrevi coloquei o blog na categoria "Pessoal".

Porque não fazia ideia do que é que queria do blog e esta categoria dá para tudo.

 

Andei muito tempo pela segunda página da minha categoria.

Ou seja entre o 11º ao 20º lugar.

Achava que era uma crescida.

 

Depois com um ou outro destaque.

Daqueles bons da página do sapo. Fui parar à primeira página.

Estava entre o 1º e o 10º. A verdade é que o lugar mais alto onde estive foi o quinto.

E vim cá parar abaixo outra vez. E mudei de página novamente.

Sem stress.

 

Não sei o que raio aconteceu.

Mas...

...passei a estar na primeira página.

Estive em 5º. Em 4º.

 

E hoje estou em 1º na minha categoria.

 

Como deve ser só hoje. Tenho de aproveitar.

Vale o que vale.

E este quiosque vale o mesmo estando em primeiro ou em centésimo.

 

Não deixa de ser fixe...

Só isso. Nada mais do que isso.

Também pode ser engano...será o mais provável...

um.jpg

 

 

nas bocas do mundo....#20

10.04.18, Joana Marques

Duas horas.

Ou. Melhor...mais de duas horas!

Entre Pedro e Senhor Ludovino. Senhor Ludovino e Pedro.

Deste lado uma ciumeira do tamanho da Papua Nova Guiné.

O homem é meu! Só meu.

Já tenho de o partilhar com rins e outras miudezas...só me faltava o senhor Ludovino.

 

O que é que se passou? Do que é que falaram?

Quiseram vocês saber.

Pois. Eu não sei.

Mas...

...a Cátia sabe!

É só visitarem e lerem. Para ficarem elucidados!

 

Só sou eu que estou a gostar desta parceria improvisada com a Cátia??

Digam lá se não tem sido espetacular???

Obrigada, Cátia!

assalto. Com sabor a chocolate

10.04.18, Joana Marques

Ontem.

Depois daquela estopada. Mais de duas horas à espera do homem.

Com a Alice sem jantar. E o cão, em casa, à espera.

Voltámos para Cascais.

O Pedro deu a sopa à Alice. E eu despachei o resto.

A sorte é que já tinha o jantar pronto.

Um franguinho assado no forno. Podia ser a fome a falar mas...estava mesmo bom.

Deitei a Alice. Contra todas as expectativas. Dormiu a noite toda.

O Pedro precisava de ler uns relatórios.

E eu aproveitei para fazer umas bolachas.

Gosto muito das Jaq's. E das croq's. Mas queria mudar um bocadinho.

 

Andava a imaginar receitas.

E a experimenta-las.

Como sou uma pessoa altamente obsessiva já experimentei muitas vezes e só estava a pensar desistir quando tivesse a receita perfeita.

Põe ingrediente.

Tira ingrediente.

Põe mais uma colher disto. Tira uma colher daquilo.

E assim nascem umas bolachas.

 

Homem a ler relatórios.

Alice e Julieta a dormirem.

Joana a mostrar às bolachas quem é que vai ganhar.

E o Vasco. A importunar. A pessoa que está a ganhar às bolachas.

 

Na minha cozinha um cheirinho de chocolate derretido. Em óleo de coco. Uma delicia.

Tudo numa tigela. Mexido. Mexidinho.

E Vasco tem uma urgência. Urinária/intestinal.

Deixo as bolachas a repousar.

E vou com ele à rua.

 

Chego com o Vasco.

Que vai a correr deitar-se na minha cama. Dormir.

O Pedro diz-me que já está quase.

Dou-lhe um beijo. Com sabor a chocolate.

Vou à cozinha. Acabar as bolachas.

Falta a parte mais fácil. É só moldar. E pôr no forno.

Só que...

....a massa encolheu. Quando saí com o Vasco tinha a tigela composta.

E quando voltei tinha metade. Ou menos.

 

Começo a vociferar. A chamar nomes.

- Raios partam o cão.

Do outro lado o Pedro.

- O que é que disseste??

- Não posso acreditar...

- ?

- 1 minuto! Bastou um minuto...

- ??

- O Vasco. Mal apanhou a cozinha sem ninguém. Roubou-me as bolachas....deve ter andado lá com aquele focinho. Tenho de deitar tudo fora. Vou esquecer as bolachas por hoje. Tento amanhã outra vez.

-

- Aposto. Se lhe abrir a boca ainda vou ver vestígios das minhas bolachas.

- Pode não ter sido ele.

 

O beijo. Com sabor a chocolate.

Ainda aproveitei a restante massa.

2 (30).JPG

 

Não têm glúten. Nem lactose.

Têm muito pouco açúcar.

E são boas que se fartam. Mesmo boas!

Se quiserem a receita é só dizer...

Aceitam-se nomes...para as bolachas!!