Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

a rir-se. Desta família de loucos..

19.04.18, Joana Marques

A Julieta apareceu na minha vida. Desta forma.

Nitidamente tinha tido um dono ou uma dona antes.

Não sabemos se fugiu ou se foi abandonada.

Sabemos que estava doente.

O veterinário disse-me que provavelmente a tinham abandonado quando descobriram que estava doente.

Nunca o saberemos. Se foi assim ou não..

 

Não havia muito a fazer, segundo o veterinário.

Não quis que acabasse os últimos dias numa instituição para gatos.

Acolhi-a aqui em casa.

Deu-se bem por aqui. Pelo menos eu achei...

Sempre à distância. Sempre atenta.

Mal eu chegava a casa. Vinha ter comigo e andava de volta das minhas pernas.

Sempre que eu estava a trabalhar. Dormia no sofá mesmo em frente à secretária.

Gostava muito de festas. Na cabeça.

Às vezes. Só quando lhe apetecia. Pedia colo.

Roubava. Sempre que podia um biscoito ao Vasco. Nem era fome... era para lhe dizer:

- Cheguei agora, mas sou eu a Presidente da Junta...

Aproveitava. A competência do cão para abrir portas.

Era assim que de madrugada entrava no nosso quarto. E dormia. Aninhada.

Gostava de estar à janela.

De apanhar sol na mesa da sala.

 

A Alice bem olha. A ver se a vê sair de algum recanto.

O Vasco também já andou à procura dela. Antes que a mafarrica. Salte. Do nada. E lhe roube mais algum biscoito.

A Julieta deixou-nos hoje de manhã.

 

Está no céu dos gatos. A olhar cá para baixo.

A rir-se desta família de loucos...

...e a dizer..

- Com mil penáltis marcados! Safei-me de boa! Safei-me de boa!

 

E nós aqui...

-Pssst! Julieta! Julieta! Já temos saudades tuas! Já temos saudades tuas!

 

23 comentários

Comentar post

Pág. 1/3