Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

Beto. O queque...

20.11.18, Joana Marques

A minha mãe nasceu para ser mãe.

É mãe naturalmente. E com facilidade.

Se calhar é como todas as mães mas como é a minha acho que é a melhor mãe do mundo.

Lembro-me de ser miúda de 5, 6 anos e sairmos todos em família.

Não só os de casa mas também os meus tios, tias e primos. Passávamos a tarde no Jardim Zoológico, por exemplo.

A minha mãe tinha o bolo mármore que o meu pai gostava. O pão de ló que o meu irmão gostava. E o iogurte para a minha irmã. Não se esquecia da queijada que a minha tia adorava. E mais não sei o quê...

O saco do lanche que a minha mãe levava parecia que não tinha fim. 

Na altura dizíamos que era o saco do Sport Billy. E esta piada só percebe que tem mais ou menos a minha idade.

É a vida! Quem vos manda ser novos??

 

Uma das coisas que nunca podiam faltar eram os queques.

A minha mãe tinha 250 000 forminhas. Que untava com paciência. Fazia a massa. Punha no forno.

Esperávamos. E passados uns 20 minutos. A casa cheirava bem. E o nosso estômago agradecia.

Eram espetaculares.

Levavam manteiga, às toneladas. Passados uns tempos porque era mais saudável a manteiga foi substituída por margarina.

É claro que não era nada mais saudável! Mas na altura era o que se ouvia dizer!!

 

Depois de uma festa. Ou de uma saída em família. O meu pai queixava-se sempre.

À segunda feira. Nunca estava muito bem. Nem a minha mãe.

É claro que nessa altura ninguém ligava muito ao que se comia. E...

....só passados muitos anos. Alguém atirou..

- Será que é dos queques?!

Era dos queques. Aquela quantidade industrial de margarina fazia mossa. Pelo menos nos mais velhos.

Em nós também, claro! Mas nós nem tínhamos tempo para perceber....

 

Agora que sou mãe. 

Bem tento ser como a minha mãe. Tento! Não é fácil.

Vou-me esforçando. Aqui e ali.

E queques!? A receita da minha mãe, não pode ser.

Se não existe. Inventa-se.

Apresento-vos um queque chamado Beto! O Beto, que é um queque! 

beto.jpg

Fáceis de fazer. Ainda mais fáceis de comer.

Ficam sempre bem.

São bons para um lanche, o Pedro leva muitas vezes para o trabalho.

Aqui em casa gostamos todos.

Sempre que os faço. A Alice e o Vasco ficam 20 minutos em frente ao forno!

E não posso fazê-los quando o Pedro está em casa porque antes de arrefecerem já desapareceram.

Joana sofre! Joana sofre!

...Joana não se importa de sofrer!

 

Ingredientes!

4 ovos.

80 gramas de açúcar de coco

40 gramas de farinha de amêndoa

45 gramas de farinha de aveia

40 gramas de farinha de trigo

Cacau ou chocolate opcional.

uma colher de café de fermento

 

Com a batedeira, bater os ovos com o açúcar.

Arrumar a batedeira

Juntar as farinhas e o fermento suavemente. 

Reservar uma parte da massa e juntar o cacau.

Colocar alternadamente nas forminhas os dois tipos de massa.

Forno.

20 minutos no forno a 170º.

 

A mini travessa foi pintada à mão, por mim.

No tempo em que eu ainda tinha tempo para estas coisas!

 

Há dois anos no Quiosque!

O desafio de outono!

 

Há um ano no Quiosque!

Devo ter feito uma greve ou assim..

....nada de post!

Já seguem o Quiosque?

Instagram

Facebook

handmade life

Bloglovin

 

38 comentários

Comentar post