Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

diz-lhes que....

12.05.19, Joana Marques

O primeiro a deixar-nos foi o meu avô Luís.

- Foi para o céu.

Eu era pequena ainda. Lembro-me dele. Acho eu. Ou acho que me lembro e criei na minha cabeça memórias que nunca existiram.

Não sei bem.

O meu avô nasceu no Porto. Viveu uma vida inteira no Porto. Tinha um orgulho cerrado em ser do Porto. Mas era do Sporting.

Uma família de sportinguistas. Casou com a minha avó Adélia. Sporting, também!

Lembro-me dele em nossa casa. Vestido à Sporting. E esta memória é real. Nunca me deixa!

 

A minha avó Adélia juntou-se a ele uns anos depois.  Disseram-me o mesmo.

- Foi para o céu.

E uns tempos depois, quando o meu pintainho morreu. A minha avó Maria consolou-me.

Pegou-me ao colo e disse-me:

- Foi para o céu.

 

Na minha cabeça comecei a imaginar que raio de lugar era aquele. Para onde iam pessoas e bichos.

 

Um dia a minha avó Maria deixou-nos.

Tinha 13 anos. E já não acreditava propriamente no Pai Natal. Mas confortou-me pensar que a minha avó não estaria sozinha naquele momento. Tinha a certeza que o meu avô Luís e a minha avó Adélia lhe abririam os braços e davam acesso a um quartinho confortável.

Ainda não me tinha refeito.

Juntou-se a ela o meu avô Joaquim.

O avô que atirava foguetes sempre que o Sporting ganhava. Levou consigo uma bandeira. Do Sporting.

 

Não sou crente. Não acredito.

As pessoas normais rezam para um Deus. Um santo. Ou uma nossa Senhora.

Eu falo com os meus avós. Sobretudo com a minha avó Maria.

Interrogo-me muitas vezes. Será que estão orgulhosos? Nem que seja um bocadinho?

Será que fiz bem? O que raio é que ela faria se estivesse numa situação assim?

 

Quando a Mariana bolsa pela vigésima vez em 50 minutos e entro em desespero. Peço à minha avó para me dar um bocadinho da tranquilidade que ela tinha.

 

Quando a Alice risca a parede do quarto com um marcador preto acompanhado de rabiscos verdes.

Quando me vê encolhe os ombros. E diz...a rir!

- Spóooooooting, mamã. Spóooooooting!

Penso nos meus avós. Onde estiverem estão esbodegados a rir. Devem pensar que temos futuro. E adepta!

Depois penso. És tão, tão parva que dói.

 

Tenho 38 anos. Não acredito no Pai Natal. Mas continuo a acreditar que os meus avós estão juntos.

Todos juntos.

Acredito que estão bem. Acredito que olham pelas minhas filhas. 

 

Não me queria juntar a eles. Daqui a uns 100 anos, talvez... 

Mas gostava de poder conversar com eles. Nem que fosse através de um intermediário.

 

Senhor intermediário:

-Se falares com eles. Diz-lhes que o Sporting foi campeão de Hóquei em Patins.

- Não! Não! Não! Não lhes digas isso. Vão pensar que eu sou parva...eles já sabem! Tenho a certeza que já sabem...

 

- Se falares com eles. Diz-lhes que o Sporting conquistou o 35º título Europeu. O segundo titulo Europeu este ano!

- Não! Não! Não! Credo! Não lhes digas isso. Vão pensar que eu sou burra...eles já sabem! Estão a festejar...de certeza!

 

- Se falares com eles. Diz-lhes que o Sporting é tão grande como os melhores da Europa.

- Não! Não! Não! Não lhes digas isso. Estás a ouvir!!??? Com mil Slimanis....vão pensar que eu sou uma atrasada. Eles não têm vistas curtas!  É óbvio que é um dos melhores da Europa.

 

 

- Se falares com eles. Diz-lhes que tenho saudades....💚

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.