Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

28.08.18

eu e a minha sogra...

Joana Marques

Quando o Pedro me pediu em casamento não tive dúvidas na resposta.

Disse que sim sem pestanejar.

Se tivesse tido dúvidas...

....bastava ter-me emprestado à mãe dele por um dia ou dois e eu tinha dito logo que sim.

 

A minha sogra é muito parecida comigo.

A minha sogra é mais parecida comigo que a minha mãe.

E isso não quer dizer que não ame profundamente a minha mãe...

...não se trata disso. É só uma constatação.

 

Uma das coisas que mais gosto de fazer é descobrir gavetas antigas. Arcas de outros tempos. E armários fechados.

Explorar. Descobrir pequenos tesouros.

É isso que tenho feito no Alentejo.

Desde que a casa é minha tenho andado pelo sótão a encontrar objetos que não via desde pequena. A descobrir objetos que não conhecia. A pedir ajuda ao meu pai para me explicar: como, onde e porquê?

 

Em conversa com a minha sogra percebi que também ela tem este gosto.

Tem imensos tesouros que pertenceram à sogra e à mãe dentro de uma arca.

Tem peças de linho ainda por bordar. Toalhas de renda feitas pela mãe que são verdadeiras obras primas.

Tem colchas em crochet, algumas muito datadas e não tão a meu gosto mas outras maravilhosas.

 

A parte de cima dos roupeiros lá de casa escondem peças antigas. Pelas quais o meu coração bate.

 

É óbvio que não tenho intenções de entrar lá em casa pela calada da noite.

Deixar o carro aberto e ligado.

Apanhar os meus sogros a dormir.

Pôr o cão à porta do quarto e....

- Vasco! Se a Ana se mexer pestaneja uma vez. Se o Manel se mexer pestaneja duas. Se se mexerem os dois, ladra e fugimos nem que seja com o tapete de trapilho da casa de banho...

 

Só de olhar para as peças enche-me o coração.

E saber que encontrei uma alma gémea. Sem ser o meu marido, claro!

 

Outro dia abriu uma arca que tinha na sala e mostrou-me o conteúdo.

O Pedro e o pai saíram da sala com a Alice. O desinteresse estampado na cara...

E eu fui maravilhada com várias peças.

Entre elas camisas de noite feitas pela minha sogra e pela mãe.

- Antigamente, não se comprava nada feito, fazíamos tudo. Aprendi em miúda a costurar.

Eu. Fiquei com uma certa inveja de não conseguir fazer.

De tudo o que faço, costurar é o que menos me sai bem.

Bainhas. Consigo sem problemas.

Uma almofada também.

Cortinados. Sim...

Um saco simples tipo "Tote Bag", venha ele.

Fora isso é tudo de um campeonato diferente do meu...

 

Confessei à minha sogra que dava um rim, de muito boa vontade....para conseguir fazer uma camisa de noite como as que ela tinha na arca.

Disse que me ensinava. Era muito fácil.

E mais. Deu-me o tecido e os acessórios que precisava.

 

Com muitas explicações à mistura. Algumas por telefone a horas completamente impróprias.

Muita paciência da parte dela.

Muita determinação minha. Vontade. E perceber que não é um bocado de tecido às bolinhas que me deita abaixo.

Embora muitas vezes quisesse pedir o meu rim de volta.

Ao contrário das pessoas normais que têm uma aliada importante na máquina de costura eu costurei praticamente tudo à mão.

Costurar à máquina ainda é para mim uma espécie de ciência oculta.

Ou melhor é como conduzir um camião TIR com 3 rodas.

A máquina de costura ganha vida própria e o resultado parece um circuito de fórmula um.

Curva e contra-curva.

 

Hoje foi o dia de mostrar à minha professora o resultado final.

Ela diz que passei no teste.

Passei mas para isso penei. Penei. E penei.

 

Gostei do resultado final....

...tenho um longo caminho pela frente....

....mas, desistir não é opção!

 

1 (5) (7).jpg

1 (8) (4).jpg

1 (2) (5).jpg

 

 

Há dois anos no Quiosque!

Apertem os cintos!

 

Post 1: Neste post informo que o meu homem ideal teria de fazer este tipo de habilidade.

Problema: disse sim ao Pedro.

Casei com ele.

E nunca o questionei sobre tal.

Mas...

...não perde pela demora. Hoje quando chegar a casa nem sabe o que o espera!

 

 Post 2: O meu Quiosque fez um mês de existência.

Para quem tem blogs com 10 anos ou um ano é um post parvo.

Mas...

....eu andava há muito tempo a tentar ter um blog. E fazer um mês com posts regulares.

Foi uma vitória.

Faço referência a 5 bloggers que me acompanharam neste primeiro mês.

Ainda sigo 4 deles. E recomendo!

Perdi o rasto à xxx.

 

Post 3: O Sporting ganhou ao FCP neste dia.

 

 

 Há um ano no Quiosque!

A Noruega no seu melhor.

Os meus pais estavam comigo. E conhecer Preikestolen foi inesquecível..

Soberbo.

Avassalador.

Um dia voltarei com a minha família!

 

  

Instagram

Facebook

handmade life

Bloglovin

46 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Joana Marques

foto do autor

Sigam-me

contador de acesso grátis

Links

Grupo no Facebook de Partilha handmade! 💝

As histórias do cão! 🐶

Tricot 🌺

Crochet 🌻

Receitas 🍳🥦🥧

Planear ⌚📅 📊

Comentários recentes

  • Os bloggers

    Ora, nem mais... A vida por vezes já é tão complex...

  • Paula Rocha

    Eu não poderia concordar mais.Para quê? Porquê?Que...

  • Eli

    Joana, esta é uma boa forma de estar na vida!

  • A Desconhecida

    Ahahaha medo...

  • Aurea

    Já...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D