Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

Ironias desta vida. E como a vida é injusta.

11.11.18, Joana Marques

Domingo.

A moça gira e fofa encontra-se descontraída em sua casa.

De repente, ele aparece.

Um moço. Charmoso. Giro. De sorriso fácil.

As pernas tremem. O moço é irresistível.

Pumba. Catrapumba. A moça fica grávida.

 

A moça passa de gira e bem proporcionada. Para a fase: Gina, a mamalhuda.

O peso aumenta.

O corpo incha.

Os enjoos.

Os fanicos.

Os desmaios.

A fome capaz de roubar um campo imenso de legumes, se for vegan. Ou um talho cheio de carne biológica, se for paleo.

O sono.

A inércia.

 

E o moço?!

O moço continua charmoso. Giro. De sorriso fácil.

O moço dorme as suas noites. Todas.

A vida continua fácil. E boa.

 

E o tempo passa. O que é que aconteceu à moça?

Perdeu o controlo da bexiga.

Hemorroidas. E não só...

Passou de Gina, a mamalhuda para Nocas, o cachalote.

A barriga parece que vai explodir.

Hormonalmente, está tudo descontrolado. A moça está um desastre. Ambulante!

O humor é de cão. Pior, não! O humor não é de cão! Porque o cão, hoje até está de bom humor.

Estrias.

Percebe que as suas pernas que eram esguias e de fazer parar o trânsito, estão feitas em dois troncos inchados e sem graça.

Os pés. Não! Barbatanas.

Os tornozelos. Quais tornozelos?

Come por dois? Não! Claro que não! Come por ti, por mim e por todos os habitantes da Ásia!

Nocas, o cachalote é de muito alimento. 

 

E o moço?!

Passeia-se pela praia. Sorriso para aqui. Sorriso para ali!

Dorme. Todas as noites. Ressona. E rebola na cama.

Acorda com uma boa pele. Porque descansou. Dormiu. E a vida é demasiado curta para acordar com mau ar.

 

E Nocas?

Já não é cachalote. É como os furacões... subiu de nível.

Nocas, virou agora baleia.

Mesmo, mesmo com o tempo a rebentar. Nocas, já pouco se mexe.

Só o maxilar para enfardar mais um pouco de bolinho. 

- Porque o bebé está a pedir!

 

 E nisto. Eis que chega. A hora do parto!

O moço. Está descontraído em casa. 

Ora dormita. Ora dá um olho na televisão para ver o seu Sporting a jogar com o Arsenal.

Esperem..deixem-me lá abrir os olhos:

- Cartão vermelho a Mathieu! Vamos lá Sporting!!

E volta a dormir.

 

A moça. Chegou a hora.

Toca de fazer força. E dores? Senhores, as dores!

- Socorro! Chamem alguém! O médico! A polícia! Os bombeiros! A marinha! O Instituto de Socorros a Náufragos! Alguém! Por favor chamem alguém....112??  Mathieu?? Foi expulso! Já está disponível! Não?? E Slimani?? Alguém me ajuda??

E nasce um. E outro. 

A moça dá tudo o que tem e o que não tem.

E o moço come a sua ultima refeição do dia. Aconchega-se, o mais aconchegadinho possível e adormece.

 

Ironias desta vida. E como a vida é injusta.

Os filhos saem TODOS! Ao pai. Sem tirar, nem pôr!

vasquinhos.jpg

 

 Há dois anos no Quiosque!

Alguma vez tiveram em casa um convidado que apareceu sem ser convidado?....por exemplo: uma osga!

Eis a solução encontrada por mim....

Por mim! O Vasco fugiu...

 

Há um ano no Quiosque!

Post 1: Um passo a passo feito pela Ana. Uma gola em crochet!

Post 2: Era sábado, e o Vasco estava feliz!

 

 

Já seguem o quiosque?

Instagram

Facebook

handmade life

Bloglovin

 

 

 

51 comentários

Comentar post

Pág. 1/2