Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

Logo se vê, logo se vê....

14.08.19, Joana Marques

Antes de ser mãe da Mariana tinha uma quantidade de ideias na cabeça sobre o que gostaria de fazer depois de ser mãe.

Amamentação era uma das ideias que tinha.

Se cá em casa não comemos processados e temos uma alimentação bastante rigorosa, controlada pelo nazi da alimentação saudável. O Pedro!! 

Seria como remar contra a corrente pôr a miúda com leites artificiais.

Mas...

...já tinha ouvido histórias sobre o tormento que pode ser amamentar. Já tinha visto amigas minhas com mastites e patologias semelhantes. Não é só a dor física que mói é também a culpa que se pode sentir nestas situações....essa é invisível e bastante pior que a dor física.

Por isso, antes da Mariana nascer preparei-me para tudo.

Não fiz grande publicidade da minha decisão e mantive sobretudo um espírito aberto para o que aí vinha.

Preferencialmente queria amamentar mas se não conseguisse o mundo não acabava.

Eu, própria fiz-me gente à custa de leite artificial.

 

A Mariana nasceu e as coisas começaram a correr normalmente. 

Tal como o leite!

O Pedro estava de licença e decidimos dividir as tarefas mas o homem não tinha leite.

 Eu tinha por dois....

Optámos por eu dar peito e o Pedro dar biberão, com o meu leite lá dentro!

Tivemos sorte porque a miúda é do tipo:

- Tudo o que vem à rede é peixe!

 

Quando o Pedro começou a trabalhar continuei mais ou menos com o mesmo sistema às vezes biberão outras vezes directamente do peito. Tive sorte mais uma vez porque nunca tive dores propriamente ditas nem mazelas dignas de nota. O pediatra chegou a receitar-lhe um suplemento para ir dando, não me calei e perguntei com ar de leoa enfurecida...pronta a defender a qualidade do meu leite!

- Se ela tem aumentado bem de peso, nunca esteve doente, é mesmo necessário???

A resposta foi um bocado inconclusiva...

- Sim, é melhor...mas se quiseres esperamos mais um pouco.

- Vamos esperar mais um pouco!

 

Mas...

.....

O plano era começarmos a tentar ficar grávidos lá para Setembro quando a Mariana tivesse 6 meses e fosse mais independente em relação ao meu leite.

Qual Setembro, qual quê???

Em Maio! Já estava.

Só dei conta que estava grávida porque durante dias a fio, substituí o Pedro pela sanita e o agarramento foi tanto que se fez luz nas nossas cabeças.

- Se calhar estás grávida.

- Se calhar estou...

 

A Mariana tinha pouco mais de dois meses e o médico alertou-me:

- Vamos vigiando, mas se calhar tens de deixar de amamentar.

O drama. O horror. E a tragédia!

Escolher a Luísa em detrimento da Mariana. Escolher a Mariana em detrimento da Luísa.

Um dilema do caneco.

 

A Mariana ainda está a ser amamentada e continua a ganhar peso. E a Luísa está bem.

Sempre com mil olhos no desenvolvimento da Luísa, no peso da Mariana e na minha saúde.

Mas tivemos de alterar o plano de alimentar a Mariana que tínhamos inicialmente traçado: leite materno até aos seis meses. 

A Mariana está com pouco mais de 5 meses e pesa quase 8 kg. O pediatra aconselhou-nos, tendo em conta também a minha situação, devíamos começar a introduzir alguns alimentos sólidos.

 

Assim, no sábado passado foi a estreia da Mariana.

Cozi cenoura. Para ela e para todos nós.

Uma família é assim mesmo. Um por todos e todos por um.

Ao lanche.

Eu, o Pedro, a Alice na sua cadeira e a Mariana noutra, todos juntos, à mesa.

Cada um com um pratinho de cenoura feita em papa.

Todos a comer com um sorriso a sua cenoura.

A Mariana comeu. A Alice ajudou a irmã a comer.

Não sei se gostou ou não. Não percebi. Não chorou e foi comendo. Com um ar de:

- O que é que está a acontecer? O que é que está a acontecer?

Internamente não aconteceu nenhuma tragédia. Nenhum desarranjo visível.

 

No domingo folgámos.

Segunda voltámos à carga. Desta vez: banana.

Os 4 com uma banana esmagada à frente.

A Mariana lá foi comendo. O objectivo é que aprenda a fazê-lo sozinha.

Vendo a irmã, o pai e a mãe a comer, esperemos que por imitação e com alguma ajuda também o faça.

O processo é muito mais demorado mas vale muito mais a pena (na minha opinião).

A Alice ajudou. Eu e o Pedro também, claro!

Desta vez, gostou. Muito.

Quando a Alice distraidamente não lhe deu banana atirou um guincho que se ouviu na China.

 

Por enquanto vou experimentar dar apenas um alimento por dia. Intercalando com dias em que o leite é rei.

Quando tiver seis meses introduzirei a sopa propriamente dita.

Uma coisa é certa, papas industrializadas nem pensar, leite artificial é provável que ainda o tenha de experimentar. Isto porque a fonte chamada Joana pode secar....

Logo se vê, logo se vê....

 

 

Há três anos no Quiosque!

Uma foto minha e do Vasco.

Apareço pouco mas apareço qualquer coisa.

 

Há dois anos no Quiosque!

Quando acharam que eu era amante de um senhor de idade....

 

Há um ano no Kiosk!

O que eu me ri com isto....

o corpo a mudar!

(desta vez já nem dei conta...)

5 comentários

Comentar post