Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

10.05.18

nas bocas do mundo...#29

Joana Marques

Ser a terceira filha. Pode ser frustrante.

Tendo eu menos 5 anos que o meu irmão e menos 10 que a minha irmã. Pior.

Já percebia tudo. Ou achava que sim. Mas ainda não sabia ler.

Os meus irmão, sabiam. Claro.

Tinham montes de livros. Recebiam dinheiro para comprar livros. E eu invejava-os muito.

Invejava-os porque já sabiam ler.

Invejava-os porque recebiam dinheiro. Eu só pensava...

...quando for a minha vez. Pego no dinheiro e compro tudo em pastilhas.

Arriscava-me a ser descoberta e a ter uma pena de prisão domiciliária durante esta encarnação....mas iria arriscar.

Nunca o fiz. Porque a partir do momento em que aprendi a ler. Tudo mudou.

 

No início foi uma canseira.

Tinha de juntar as letras. E era muito stressante.

Lia tudo o que aparecia à frente.

Ainda me lembro das viagens para o Alentejo.

Só não me atiraram nunca, pela janela fora, porque eu...ia no meio.

Os meus irmãos à janela. Os meus pais à frente. E eu no meio.

Lia todas as placas de trânsito.

Lia os nomes das lojas.

Lia as matriculas dos carros. E tentava formar palavras.

E assim chegávamos ao Alentejo. Uma família com os nervos feitos em frangalhos.

 

A minha escola primária tinha uma biblioteca pequenina.

Aproveitava os intervalos para ler.

Ia à biblioteca. Tirava um livro. E começava a ler.

Depois. Fazia uma marquinha pequenina na página onde estava. Arrumava o livro. E voltava à sala de aula.

No dia seguinte voltava à biblioteca e retomava a leitura.

Um dos primeiros livros que li, na biblioteca da minha escola, foi: "Rosa, minha irmã Rosa da Alice Vieira".

Demorei um tempito para o ler todo.

Foi muito bom o investimento de tempo que fiz no livro. Gostei, tanto. Tanto!

 

Contei a história à minha professora. Que me disse para eu a apresentar aos meus colegas.

Adorei. Porque tinha um palco. E podia brilhar...

Cheguei a casa. Contei a história à dona Aurora.

À minha irmã.

Ao meu irmão...que me atirou um chinelo.

Tive de sair do quarto. Mas fiquei cá fora a debitar o que tinha lido.

À minha mãe.

E ao jantar. Ao meu pai. Com os meus irmãos a atirarem-me olhares de fuzilamento.

A minha mãe disse-me.

- Se te portares bem. Compramos-te o livro. E podes lê-lo outra vez. Vais ver que encontras novos pormenores que te escaparam da primeira vez....

Atendendo que li o livro aos 7 anos.

Só recebi o livro quando tinha 11 anos. Devem perceber. Tive um comportamento irrepreensível...

 

Ontem a desconhecida, relatou a volta que teve de dar, na apresentação de um trabalho.

E como foi parar ao livro da Alice Vieira. Diz que se lembrou da minha Alice por causa do nome.

Ainda não tinha feito a associação. Mas parece-me tão bem!

 

Desta autora li "Chocolate à Chuva".

Também na biblioteca da escola. E pelo mesmo processo.

 

Neste momento estou a ler à Alice, este:

alicev.jpg

Vi-o no Continente. Achei piada à capa. E quando vi que era da Alice Vieira não resisti.

A Alice adora. Estes momentos. De leitura.

E eu também.

 

7 comentários

Comentar post

Joana Marques

foto do autor

Sigam-me

contador de acesso grátis

Links

Grupo no Facebook de Partilha handmade! 💝

As histórias do cão! 🐶

Tricot 🌺

Crochet 🌻

Receitas 🍳🥦🥧

Planear ⌚📅 📊

Comentários recentes

  • Fátima Bento

    Oh pá,o teu ângulo é fantástico! Adorei. E eu tamb...

  • Happy

    Também houve risos aqui na ponta de Portugal. Só p...

  • Anónimo

    Coitado do Pedro, ele que me desculpe mas passei o...

  • Aurea

    O Pedro que me desculpe mas, a descrição da situ...

  • Cristina Gomes

    Tadinho do Pedro...Não te quero stressar até porqu...

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D