Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

o pijama da Abelha Maia. E como lido com o stress.

15.02.18, Joana Marques

Quando era pequena.

Naqueles dias em que parecia possuída pelo diabo.

Dia sim.

Dia sim.

A minha mãe pegava em mim e dava-me leite.

Era eu minúscula e segundo a minha mãe só acalmava com leite.

- Eras tão apressada que nem comias. Tinhas fome. E ficavas intragável.

Conta a minha mãe.

Mentira. Intragável. Eu?

 

Quando era pequena.

Já gente. Já tenho memórias disso.

Passava as férias no Alentejo.

Com os meus avós.

A casa tinha e tem no terreno, um laranjal.

Um dos passatempos preferidos da minha avó era levar-me pela mão rumo ao laranjal.

Todos os dias via a minha avó a comer uma laranja.

Todos.

Em casa. Ou diretamente da árvore.

Todos os dias me oferecia uma laranja, eu torcia o nariz e recusava.

Até que um dia a minha avó:

- Se comeres uma laranja, todos os dias, durante 15 dias, compro-te o pijama da abelha Maia.

Teria ouvido bem?

O pijama da abelha Maia?? Seria possível.

Já tinha pedido à minha mãe. Ao meu pai. Aos meus tios.

Até à minha professora, tinha pedido. O que fez a minha mãe corar de vergonha e me valeu um castigo por tempo indeterminado.

A muito custo comi uma laranja todos os dias.

Custou-me tanto a ganhar o pijama da abelha Maia. Tanto.

Mas eu não era pessoa de desistir. Se tivesse de ter bebido ácido sulfúrico...tinha bebido ácido sulfúrico.

Não sei porquê mas o hábito de comer uma laranja por dia ficou.

Acho que é porque me sinto bem.

 

Ontem, em conversa com umas amigas "discutíamos" o que fazemos quando estamos com uma neura do tamanho do mundo.

Um café. Chá. Dormir. Passear. Correr. Leite morno. Chocolate quente.

Várias sugestões. Várias estratégias.

Quando chegou a minha vez de contribuir para a conversa. Fiquei a pensar.

É verdade que no meu estado natural não tenho muitos dias depressivos.

Mas também os tenho...

E quando os tenho, agarro-me à vitamina C e como uma laranja.

Não pode ser sumo. O sumo não funciona.

 

Uma laranja.

Acalma-me. Tranquiliza-me.

Põe-me os parafusos em ordem. Mais ou menos em ordem.

Dá-me energia para resolver o que me está a preocupar.

Faz-me ter coragem de tomar decisões.

O meu tio diz que é porque tem magnésio. E o magnésio contribui para a produção de energia.

Só sei que funciona comigo. A explicação técnica...bla, bla, bla, whiskas saquetas...

 

Ultimamente tenho comido muitas laranjas.

Hoje, por exemplo comi duas.

Adoro viajar.

Mas ir para Angola e deixar cá a minha filha. Tem-me dado uma inquietação. Nunca antes vista. Nunca antes sentida.

 

19 comentários

Comentar post