Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

19.03.18

o pintas

Joana Marques

A história deste pintas. É simples.

Pertence ao meu círculo de amigos. Alargado.

Às vezes aparece. Porque é amigo de algum amigo.

Conheço há uns 10 anos, talvez.

Tem namorada. 8 anos, 7 anos. Não sei bem.

Um dia começou a aparecer com ela. E percebemos que tinha namorada.

 

 

É comprometido. Mas pouco...

Ainda eu estava de pedra e cal com o meu namorado.

Já, André, o pintas do Cais do Sodré. Me convidava para um café.

De vez em quando lá aparecia.

- Olá, Joana. Café, esta semana.

Nem esta, nem para a próxima. Sou comprometida. Não ando a desperdiçar tempo com pintarolas...

 

Pior, foi quando eu e o meu namorado terminámos.

Gamboa, o pintas de Lisboa. Achou que tinha aí a sua grande chance.

Pobre, Joana. Carente. E em sofrimento. De certeza que aceita um café, um chá ou um licor beirão.

Nunca fomos amigos no facebook. Mas ele lá me descobriu. E enviava mensagens que se fartava.

Já não sabia dele desde o século passado. Sabia lá eu se tinha namorada ou não.

- Olá, Joana! Tanto procurei que te achei!!! Café??

Respondi que não. Até podia não ter namorada mas só o facto de me ter convidado para beber café, quando eu tinha namorado e ele, namorada. Morreu...

Por acaso ainda tinha namorada, a mesma. Confirmei mais tarde.

 

E assim continuámos.

Gama, o pintas de Alfama. A picar o ponto de vez em quando.

Uma mensagem aqui, outra mensagem ali.

Numa fase. Começou a enviar-me mensagens do género.

- Já cheguei a casa. Um beijinho.

- Já almocei. Um beijinho.

- Vou dormir. Beijinhos.

- Tenho saudades tuas. Um beijinho.

Achei que estava a ver unicórnios. Adiante.

 

Estive fora do país.

E, o parvalhão, o pintas de Monção.

Desapareceu.

Pensei. Desistiu.

Mas não....

Voltou nos meus anos. E na Páscoa. E descobriu este espaço.

Ó meus amigos.

Os elogios começaram.

- Tu escreves tão bem.

- Tu tens o melhor blog do mundo.

- Como é que podes ser assim, tão espetacular.

- Só tu me fazes rir.

E pérolas. Daquelas. Que nós sabemos que são francamente exageradas.

Na altura, não namorava mas gostava do rapaz do #rumoaoesquecimento.

Uma das coisas que mais detesto na vida. É perder tempo. Achei que o devia avisar. Que estava a perder tempo.

Eu gostava de uma pessoa. E mais ninguém tinha hipóteses.

O que eu fui a dizer.

- Eu não quero saber nada disso. Não me importo nada que estejas com alguém. Só quero um café. Só um café.

Apeteceu-me dizer:

- Põe-te na fila. Queres tu e mais alguns. Infelizmente para vocês eu sei bem o que quero. E não te quero a ti...sorry!

 

Ficámos por aqui.

Durante um tempo.

Com a adoção da Alice, achei que os pintarolas iam à vida deles. Chatear outra qualquer, mas não...

A coisa piorou, muito...

Deve ter-lhes cheirado a desespero.

E quando escrevi os post's sobre o #rumoaoesquecimento.

Renasceram. Das cinzas. Este pintas. E mais uns quantos.

Chafarica, o pintas da Caparica, ainda ressentido por lhe ter dito que tinha alguém, uns meses antes.

Cumprimentou-me e deu-me os parabéns pela Alice.

E disse-me que lhe queria oferecer um presente.

Quase enfartei.

Disse, que não. Obrigada. Não era preciso.

Pois, passados uns dias. Recebi em casa dos meus pais. Uma encomenda. Em nome dele. Com um cartão todo lamechas que acompanhava uma boneca.

É óbvio que a Alice nunca cheirou a boneca.

A Alice está a ser educada para ser uma mulher às direitas. Com autoestima no lugar certo.

Sofrer por amor. Acontece aos melhores. E é normal.

Sofrer por amor, por um pintas. Acontece a quem deixa acontecer. E espero que a Alice não deixe.

A encomenda tinha morada. Era a morada do trabalho dele.

E não me fiquei.

Também lhe comprei um presente.

Uns patins.

Pode ser mito. Ou não. Nunca consegui provar. Mas diz-se por aí que os cobardolas têm as extremidades. Pequeninas...

E por isso comprei um 28. Uma prenda agradável, para mim. Útil, para ele.

Mensagem bem clara! Nop....

Para além das extremidades, também tem o cérebro bastante curto.

Deve ser por simpatia....assim é tudo proporcional.

Enviou-me uma mensagem. A perguntar se me tinha enganado. Que a sobrinha já tinha 15 anos e não lhe serviam...

Fiquei na dúvida se chorava. Ou não.

Não chorei.

Os pulsos! Podia cortar os pulsos...

....desisti...muita nhanha vermelha...

Já o tinha bloqueado no meu telemóvel. Seguiu-se a vez do messenger.

 

Só que....

Rança, o pintas da Penha de França.

Apareceu. Em formato fresco e fofo no instagram.

Durante um tempo. O instagram do blog esteve público. E como quem não quer a coisa começou a seguir-me.

Nem tinha dado conta. Só quando recebi uma mensagem.

Hoje.

Então não é que leu o meu post sobre o meu passeio de sábado.

E achou incrível que eu tivesse ponderado ir beber café, com uma pessoa.

Foi assim, desta forma. Que eu descobri. Que sou propriedade do pintas.

Deve ter-me comprado num bazar chinês.

Ou numa banca de feira. 

Se calhar foi em Marrocos.

Naquelas trocas e baldrocas..que eles fazem com camelos.

Enganaram-se no câmbio...e SURPRESA!

 

Já que lê o blog. Aqui fica.

Covas, o pintas das avenidas novas.

Se gostava de ter namorado. Sim, mas...

Tem de ser aquele homem que é uma mistura perfeita de príncipe encantado com lobo mau.

E tu, és só....um pintas...quem nem a dálmata chegou.

 

Que seja um companheiro. De vida.

E não de momentos.

 

Por favor!

Não me faças perder tempo...

 

 

 

 

39 comentários

Comentar post

Pág. 2/2

Joana Marques

foto do autor

Sigam-me

contador de acesso grátis

Links

Grupo no Facebook de Partilha handmade! 💝

As histórias do cão! 🐶

Tricot 🌺

Crochet 🌻

Receitas 🍳🥦🥧

Planear ⌚📅 📊

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D