Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

Quiosque. Com gente dentro...

03.04.18, Joana Marques

Joana. A espalha brasas.

Era assim que o meu avô Joaquim me chamava.

Quando eu estava lá no Alentejo tudo mexia.

Qual terramoto. Sem demorar o tempo comum dos terramotos. Quais 30 segundos.

O reboliço era constante. As réplicas insistentes. Só parava por umas 5 horas. Enquanto dormia.

 

Joana. Levada da breca.

Era assim que era conhecida em Campo de Ourique.

- Joana? A filha do João e da Mariana. Aquela que é levada da breca? O que é que ela fez desta vez?
Saía do infantário. E corria. Com as pernas todas até chegar a casa.

Na minha mão. Os desenhos. Do dia. Para mostrar à minha mãe.

E quando cresci. Não acalmei.

Sempre que recebia um teste bom. Saía do Pedro Nunes a correr. Para chegar a casa depressa. E mostrar o teste.

Ainda hoje sou assim. Não tanto mas ainda sou.

O querer partilhar. Espalhar pelo mundo.

 

 

 

28 de Julho de 2016. Quinta-feira.

- Joana? A filha do João e da Mariana. Aquela que é levada da breca? O que é que ela fez desta vez?

Criei este blog.

Nada de especial. Só criei o blog.

Escolhi o sapo. Aconselhada pela minha prima Joaninha. Que já cá tinha estado.

"Blogs com gente dentro. " Prometia o sapo.

 

Li. Achei que sim. Nada como experimentar.

Fui escrevendo.

Sinceramente. Achei que não ia durar muito tempo.

Começamos por ter 10 leitores por dia. Ou menos, se for sábado. Ou feriado.

Desanimamos. Mas um dia recebemos o primeiro comentário.

Achamos estranho. E depois um favorito.

Temos um destaque. E subimos mais um pouco. Começam a seguir-nos.

Sobrevivi o primeiro mês.

O segundo. E cheguei ao Natal.

Fiz 6 meses em Janeiro de 2017. Nunca pensei.

Entrei numa fase em que era uma obrigação para mim escrever um post.

Tive vontade de mandar o blog e a obrigação às urtigas.

Passei por uma fase muito difícil da minha vida em Março de 2017. Quando estive na Grécia. Deixou marcas em mim para sempre.

Vivi na Noruega.

Contei as histórias do cão.

Da minha vida.

Dos meus desastres. Dos meus desafios. Contei a história dos piolhos.

E de quando fui surpreendida pelos meus tios.

A minha mudança alimentar passou por aqui.

As minhas receitas novas.

Os meus esquemas de tricot.

Quando quero uma receita já não vou ao meu livro de receitas. Passo aqui pelo quiosque.

Se quero repetir um esquema. Consulto o passo a passo.

Às vezes tenho curiosidade de ver o que escrevi há um ano. E fico perplexa por descobrir episódios que já nem me lembrava.

Convidei a Ana. Porque a determinado momento achei que era muito centrado em mim.

Também por isso a Ana me disse que não queria continuar.

- É teu. Mesmo teu. O blog é Joana por todos os lados.

É verdade. Mesmo verdade. Porque eu ainda continuo aquela miúda que corria pela Ferreira Borges com os desenhos na mão. Só que virtualmente...

 

715 posts. 15642 comentários. 4433 reações.

É um blog pequeno. Modesto. E nunca passará disso.

Se tivesse de destacar o que mais gosto.

Destacaria a...

.. Amizade.

 

 Amizade.

É a palavra que definiu. Define. E definirá este blog.

Este quiosque tem gente dentro. Tal e qual.

A prova, provada que nem sempre a publicidade é enganosa. Às vezes é mesmo verdade.

 

O carinho que têm pelo Vasco.

O incentivo que me deram quando parti a perna.

As palavras que deixam à Alice.

O tempo que partilham comigo quando visitam o blog. E quando o comentam. Quando me dizem Bom Dia pelo instagram. Os comentários no facebook.

As palavras de ânimo sempre que os dias não correm bem.

A Bas Dosta. A Joaninha verde. Presa na caixa para dar sorte. Nesta fase parece-me que já pode ver a luz do dia...

Aquelas conversas. Espelhado versus espalhado. Que só eu e um quiosquiano entende.

O Sporting e sempre o Sporting.

O estar a torcer pela gravidez de alguém. Para que o pequeno nasça com saúde.

Quando referem o quiosque nos vossos espaços.

O ficar de sorriso na cara quando me enviam a foto dos vossos bebés e achar que cresceram muito.

O escreverem um mail a contarem-me uma parte das vossas vidas e perceber que já faço parte um bocadinho.

Dizerem-me que fizeram uma receita minha e ficou boa.

Tirarem tempo da vossa vida para me escreverem a dizer:

- Tens um erro no post de hoje!

E quando me dizem.

- Hoje estava triste mas passei por aqui e fiquei melhor do que estava.

O quiosque é tudo isto. E muito mais.

 

 

Finalmente. Neste últimos dias.

A energia positiva no caso Pedro.

Como eu consegui gerir uma área da minha vida muito delicada para mim.

Onde sou completamente inábil. E só com um empurrão lá cheguei.

Tenho a impressão que não teria chegado a bom porto se não fossem também vocês.

Eu e o Pedro estamos muito gratos. 

 

Se isto não for amizade. Não sei o que será.

Eu e vocês.

A amizade no seu melhor.

Genuína.

Verdadeira. Com gente dentro.

 

 

70 comentários

Comentar post

Pág. 1/4