Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Kiosk da Joana

Kiosk da Joana

SIC Notícias. Não és tu, sou eu...

13.01.19, Joana Marques

Nasci em 1981.

Dois canais de televisão.

E para grande desgosto meu, uns pais pouco dados à caixa mágica que mudou o mundo.

Deixavam-me ver os desenhos animados da altura mas como eu passei uma infância quase sempre de castigo eram poucas as semanas em que via televisão todos os dias.

Enquanto na escola primária os meus amigos e amigas discutiam e comentavam entre si as personagens das novelas. Eu tentava a todo o custo desviar a conversa para um tema que eu dominasse. Tipo o Sporting e assim.

 

Em minha casa, jantávamos às 19h. Via-se o telejornal às 20h (os meus pais...nós não, credo!).

E depois do telejornal desligava-se a televisão e ocupávamos o tempo de outra forma.

 

A maior parte das vezes em família.

Foi nestes serões que aprendi a jogar xadrez, por exemplo.

Lia. E quando acabava o livro fazia um resumo da história que tinha lido aos meus pais e irmãos.

Outras vezes a minha mãe ajudava-me a desenhar algum episódio do livro que tinha lido. 

O meu pai dado às matemáticas inventava enigmas para decifrarmos.

Fazíamos os trabalhos da escola se ainda não os tivéssemos despachado.

Nunca faltava tema ou falta do que fazer. Sobretudo conversávamos todos.

 

Com 17 anos deixei a casa dos meus pais e fui para um apartamento alugado para os lados do Campo Grande.

O apartamento não tinha televisão.

E eu não me chateei nada. Ver televisão era um hábito que eu não tinha.

 

O meu pai, na altura achou estranho e foi ele que me ofereceu uma televisão e que a pôs operacional.

Às vezes lá via qualquer coisa. 

Não sei bem em que ano terá sido mas sei que foi por volta dos meus 18/19 anos que fiquei pela primeira vez viciada num programa de televisão.

Seinfeld.

Dava na TVI depois do ultimo telejornal.

O vicio era tanto que cheguei a trocar viagens com colegas (era hospedeira) só para poder assistir a um misero episódio da série. Para mim ainda hoje é a melhor série que vi na vida.

Seinfeld desapareceu do ar e voltei a não ligar muito à caixinha mágica.

Embora por estas alturas já visse alguns programas de notícias para me manter atualizada.

Com o incremento da TV cabo e com a arrogância dos vinte e poucos anos via a BBC e a CNN.

Mas..

...para ter notícias de Portugal na BBC e na CNN é preciso cair uma ponte e/ou morrer muita gente. E...

...já a aproximar-me dos 30 escolhi finalmente o canal de televisão: SIC Notícias.

 

A verdade é que moro em Portugal e por isso fazia todo o sentido seguir um canal de televisão português.

Não deixei de ver a BBC ou a CNN.

Cada vez mais através da Internet, mas o canal de televisão na qual a minha televisão está sempre ligada é a SIC Notícias.

E não.

Não fico só por lá.

Às vezes faço zapping por outros canais mas é na SIC Notícias que acabo sempre. 

Continuo a ver muito pouca televisão mas tento sempre todos os dias assistir aos primeiros 20 minutos de um telejornal.

Depois disso é mais do mesmo e fico sem paciência.

Se tenho tempo gosto de ver alguma programação.

Não a vejo à hora que dá mas aquela maquina do tempo que temos mesmo ao lado da televisão possibilita-nos andar para trás e ver o que não vi quando estava a dar banho à minha filha ou a fazer o jantar.

Gosto de ver o Espaço & Casas. O imagens de marca. O Cartaz. E o Eixo do mal. 

O tempo é um ditador e passam-se semanas que nem me lembro de os ver mas sempre que posso...espreito. E muitas vezes fico.

 

O que é que a SIC Notícias tem?

Se calhar consigo responder melhor o que é que a SIC Notícias não tem...

Não tem todo aquele lixo televisivo.

Sei que se ligar a televisão não me vai aparecer uma qualquer imagem de novela em que alguém está a estrangular outro. Ou a imagem de uma apresentadora a querer parecer vinte anos mais nova, aos gritos de entusiasmo porque nos quer impingir um medicamento qualquer contra a tremideira da pálpebra esquerda. Ou, alguém com um vestido aberto até ao pescoço por vaidosice pessoal que quer mostrar que ainda existe.

Não tenho nada contra mas dispenso.

 

Esta semana. Fiquei em choque. Liguei a televisão na SIC Notícias, pois claro!

Qual não foi o meu espanto quando me senti transportada para um outro canal qualquer.

Eu sei que contrataram a Cristina Ferreira.

Nada contra.

Cada um sabe de si. E cada um tem aquilo que merece.

 

Confesso que me apanhou de surpresa.

Não esperava uma traição deste tipo.

A culpa não é da SIC Notícias.

A culpa é minha que confiei demasiado e baixei as minhas defesas.

Fiquei desiludida mas dei-lhe outra oportunidade.

Um dia não são dias e toda a gente pode ter um dia mau.

 

Mas hoje voltou a acontecer.

De manhã liguei a SIC Notícias.

E lá estava a vossa contratação a dizer que fazia boa televisão.

Não duvido. Mas deixe-me que lhe diga...

...depende do ponto de vista. 

 

Estou aqui a pensar. Se calhar vou ter de avançar e mudar.

SIC Notícias. Não és tu. Tu fizeste o que a maioria faz...

Sou eu. Que não quero assistir ao que a maioria assiste..

 

Há dois anos no Quiosque!

Post 1:

Como é que esta portuguesa emigrada queria matar saudades do seu país?

Post 2:

Aquela sensação de ser sexta-feira!

 

Há um ano no Quiosque!

Post 1:

O dia em que comecei a gostar do Chico. Buarque!

Post 2:

Uma perna ainda meia desongonçada e não é que me iam partindo o nariz num centro comercial!

Post 3:

Uma resolução de 2018, a fotografia.

O que eu me arrependi durante o ano....

 

Já seguem o Quiosque?

Instagram

Facebook

handmade life

Bloglovin

 

33 comentários

Comentar post

Pág. 1/2