Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kiosk da Joana

Kiosk da Joana

alentejanar

23.08.19, Joana Marques
Um ano inteiro. À espera. De Alentejanar.  Temos figos. Pêssegos.  E uvas.  Voltamos do pomar carregados de perdições. Ui! E as outras tentações? Por trás da capela apanhamos amoras. Comemos com as mãos.  Andamos descalços. Dormimos onde calha. Estamos morenos. Ou sujos? Por aqui não há amarujos.   As miúdas. Os cães.  Brincam ao faz de conta. Eu e o Pedro. Não! Isto não é ficção. É a nossa vida real. Da qual não abrimos mão.   Um ano inteiro.

não se pode apressar o amor

10.08.19, Joana Marques
5 ovos. 150 g de açúcar artesanal (coco + mascavado). Com a ajuda de uma batedeira transformo-os numa nuvem.  400 ml de leite de coco. Envolvo-o na nuvem. Junto 3 colheres de sopa de farinha de coco. Incorporo.  Uma chávena de fruta. Hoje usei papaia. E a nuvem fica pronta. Pronta. Pronta. Não! Não se pode apressar o amor.   Numa panela coloco água. E, em lume muito brando. A nuvem vai cozer em banho Maria. Tapada. Durante 45 minutos a uma hora. Tanto tempo? Sim! Não se pode (...)

o amor deve ser SEMPRE recompensado!

09.08.19, Joana Marques
5h30 da manhã. Todos os dias. A hora certa para eu acordar. O Pedro entre sonos e sonhos bem tenta segurar-me de alguma forma mas tornei-me perita em esgueirar-me sem ele perceber. Mal saio da cama vou espreitar as miúdas. Sempre acompanhada pelo Vasco. Faço o pequeno almoço. Como. Preparo os pequenos almoços das pessoas aqui de casa. Em dias de mais inspiração faço um bolo e tomo banho enquanto está no forno. A Mariana acorda entre as 7h e as 7h30 e a Alice um pouco depois.

Eu sou a primeira!!!

21.07.19, Joana Marques
Quem tem filhos sabe como nos surpreendem todos os dias. Pelo menos eu, sou surpreendida muitas vezes pela Alice. A Alice com dois anos e pouco diz tudo e mais alguma coisa. Algumas palavras ainda não consegue dizer como deve ser. Ainda assim é uma surpresa para mim, a forma como se exprime.   Quando o Pedro chega do trabalho! O pessoal aqui de casa fica louco. A Gabi olha para ele como se fosse Deus. E por isso faz uma chinfrineira que se ouve na Indonésia.   A Mariana tem (...)

aqui há gato!

04.07.19, Joana Marques
Primeiro disse-me que não acreditava neste tipo de crença. - Pode ser Luísa ou não! Essa coisa dos pressentimentos não existe... Conversa do Pedro logo, logo quando descobrimos que estava grávida e eu lhe disse garantidamente que ia ser uma Luísa. Mas... ....não sei se é para me deixar os nervos em franja. Mudou! Agora diz que também ele tem um pressentimento. É rapaz. - Não é! Não é! Estás errado. É uma miúda! Tenho a certeza. - Tem paciência mas é um João...

para a minha sobrinha Madalena....

23.06.19, Joana Marques
Recomeça.... Se puderes Sem angústia E sem pressa. E os passos que deres, Nesse caminho duro Do futuro Dá-os em liberdade. Enquanto não alcances Não descanses. De nenhum fruto queiras só metade. E, nunca saciado, Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar. Sempre a sonhar e vendo O logro da aventura. És homem, não te esqueças! Só é tua a loucura Onde, com lucidez, te reconheças...   Miguel Torga

Vamos tornar isto mais interessante? Parte 2

17.06.19, Joana Marques
Eu digo que é Luísa. É Luísa e pronto! O Pedro olha para mim com ar de gozo. Crendices não é com ele.   A minha sogra diz que se eu acho que é uma Luísa é porque é uma Luísa.  A mãe sabe sempre. Sendo que ela achava que sabia e vai-se a ver .... Diz que não há regra sem excepção e o engano dela foi a excepção que confirma a regra.   A minha mãe diz para eu ganhar juízo. Para (...)

é uma boa decisão. Não acham?

25.05.19, Joana Marques
Com mil Slimani´s. Ó dia longo... ...tão longo! Antes do jogo demorou uma eternidade e meia.  Antes do jogo já eu andava tão nervosa, tão nervosa. Que o Pedro foi convocado a alimentar a Mariana. Amamentar exige tranquilidade e paz de espírito. E isso era tudo o que eu não tinha. Antes do jogo falei com o meu bisavô, com a minha avó e com o meu avô. E depois fiz uma ronda pelos vivos. Pai, irmão, irmã, sobrinho, sobrinha e sobrinha. Primos, vários!   Com mil (...)

momento Calimero!

15.05.19, Joana Marques
A Mariana é uma calmaria.  Durante os primeiros dias ia dizendo ao Pedro. - Esta miúda ainda não percebeu que nasceu! Dormia. Dormia. Dormia. Passou o primeiro mês. E eu continuava a dizer! - Não percebeu que nasceu. Não sabe que a vida de olhos abertos tem outro encanto... Senhora Mariana, qual bela adormecia..... ....só dormia. Estávamos a chegar ao segundo mês. - Pedro. Vê lá bem a tua filha...será que está tudo bem com ela? O Pedro riu que nem um perdido. Gozou (...)

em sintonia...

14.05.19, Joana Marques
Detesto GPS. Nunca tive. Atendendo que o meu sentido de orientação é igual ao de uma batata. Este capricho tem-me deixado muitas vezes mal. Foi com grande alivio e satisfação que constatei que casei com um homem que adora conduzir. UM ponto a favor! Eu não gosto nada. Tem um sentido de orientação que se pode mesmo chamar assim. Nunca se perde! Dois pontos a favor! E GPS?? - Tens GPS?? Pedro! Tens GPS?? Perguntei eu a testar o homem. - Não! Nunca tive. Nunca precisei. Mil (...)

não preciso de 5$00 na algibeira...

20.04.19, Joana Marques
  - Quem é a miúda mais gira de Portugal Continental, Madeira e Açores incluídos, Europa, Ásia, passando como não quer a coisa pelas ilhas Togo com paragem obrigatória na Lua??? - É a iiiiiiice. Responde-me a Alice com um sorriso do tamanho do mundo.   Lembro-me de mim. Um pouco mais velha do que a Alice. Da Páscoa. No Alentejo. Da minha avó. Do meu avô. Dos (...)

a lengalenga...

19.03.19, Joana Marques
Entre nós os dois havia uma lengalenga que improvisávamos e inventávamos sempre que nos apetecia.  Eu pensava, pensava e pensava. O dia inteiro. Numa forma de completar a lengalenga. Às vezes ficava despachada logo de manhã.  E esperava por ele o dia todo para lhe debitar o que me tinha vindo à cabeça. Outras vezes era o meu pai que completava da forma que lhe dava jeito. Ainda hoje. Muitas vezes falamos e algum de nós se sai com a lengalenga inventada no momento.   João e Joana. Jo (...)

A nossa casa. É. Onde está o nosso coração.

25.02.19, Joana Marques
Ontem. Saímos de manhã e fomos até ao Marechal! Traduzindo, fomos até ao Parque Marechal Carmona em Cascais. A Alice correu. O Pedro também. Atrás dela. Eu. Arrastei-me. Rebolei-me. E andei conforme o meu corpo de mastodonte foi permitindo. - Ó mamã! Apanha-me. Apanha-me! Pois sim! Querida filha. É tão crédula esta miúda. Capaz de acreditar no Pai Natal e tudo!   Pela hora do almoço. Rumámos até casa dos meus pais. Almoçámos. A Alice dormiu a sesta. Quando acordou pelas (...)

par. Ou ímpar?

23.02.19, Joana Marques
Ímpar Não par. Desemparelhado. Sem igual.   Prefiro os dias pares. Porque são serenos. E rotineiros. Sem foguetes. Nem fogo de artifício.   Os dias ímpares podem ser os melhores. Ou os piores. Pressupõe mudança no que é importante. Mas o importante já tenho. E quero que fique como está.   Prefiro os dias pares. Aqueles que são rotineiros. Porque as rotinas de pessoas felizes, são boas. E o menos bom. Pode ser mudado. Pelo menos, tentar ser mudado. E um dia (...)