Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quiosque da Joana

Quiosque da Joana

o mistério da planta falecida...

12.08.19, Joana Marques
Era uma vez um rapazinho da cidade chamado Pedro! Nascido em Lisboa. Mas criado no Montijo... ..podia ter aproveitado de alguma forma as brincadeiras de rua ou a ruralidade por terras Alentejanas onde viviam os seus avós. Não! Pedro tinha outro tipo de preferências. Gostava de carrinhos telecomandados. Dinossauros. Achava alguma piada ao esqueleto humano tendo inclusive feito uma colecção qualquer onde em vez de cromos comprava todas as semanas uma réplica de um osso humano, para (...)

regras de pontuação.

07.07.19, Joana Marques
Eu era um ponto. Um ponto. Um ponto simples. Não era um ponto final. Parágrafo. Não! Um pouco de exclamação. Algumas vezes de interrogação. Em certas ocasiões cheguei a ser um ponto e virgula.   Eu era um ponto. Um ponto. Um ponto simples. Não era um ponto final. Parágrafo. Não! Mas... ...fui muitas, muitas vezes travessão. Tagarela. E hiperactiva. Não era qualquer vírgula que me fazia parar.   Eu era um ponto. Um ponto. Um ponto simples. A preto e branco.

10$00 de tremoços

11.02.19, Joana Marques
O meu avô era um homem grande. Robusto. Não falava alto mas fazia-se ouvir. Tinha uma voz grave que ecoava pela casa inteira. Tinha um certo medo dele. Não tinha o à vontade que tinha com a minha avó. Não tinha coragem de abrir a boca e dizer quase a chorar: - Ó vó se não tiver o pijama da Abelha Maia, morro. Um drama à escala do meu mundinho pequeno não podia ser partilhado com aquele homem sério e importante. Era a mais nova dos netos. Muitos já eram adultos, interessantes e (...)

Sem eu saber. Já eras tu.

03.02.19, Joana Marques
Digo tantas vezes que és tu a minha casa. O meu melhor abraço. O meu  melhor sorriso. O que me faz brilhar. A leveza que alivia o peso dos dias.   Fazes-me sentir saudades do futuro. Junto a ti. Fazes-me sentir saudades da vida. Que teremos juntos.  Do amor. Que estamos a construir. Todos os dias. Da nossa família querida. E de todos os nossos minutos. Quando dançamos juntos. A Mariana entre nós. Com a Alice agarrada às nossas pernas.   És tu. Serás sempre tu. Um amor maior. O (...)

o que uma pessoa faz por amor...

19.01.19, Joana Marques
O meu pai tem como hobbie comprar peças de carros e aviões.  Monta-las. E experimentar se funcionam. Normalmente sim. Não são carros nem aviões a sério, são miniaturas. Andam e voam. Parecem brinquedos de crianças mas não se pode dizer isto à frente do meu pai que ele fica furioso. Tal e qual como quando o Sporting não ganha. O meu pai tem um grupo qualquer, diz que são pessoas verdadeiras que fazem corridas com os carrinhos.    A minha mãe como mulher normal que é, (...)

um lamento. Um queixume. E uma reclamação..

04.01.19, Joana Marques
Eu sou a pessoa mais friorenta que alguma vez viveu no planeta Terra. Pés gelados. Mãos geladas. Nariz congelado. Assim sou eu. Joana Marques. E não digam que também são. Algum de vocês dorme no verão de meias e com edredão nível 5? Pois, eu durmo!   O Pedro é exatamente o oposto! Ainda hoje de manhã andou por aqui no quintal vestido de forma primaveril. Bebeu o café cá fora como se estivessem 40 graus à sombra. E eu estou grávida não bebo café. Só por isso é que não (...)

entre marido e mulher...

09.12.18, Joana Marques
Tem dias em que o Pedro sai à meia noite do hospital. Às vezes espero por ele. Mas... ...desde que estou grávida tem sido raro. Só mesmo em dias em que me distraio com as horas. Ele chega e digo: - Já, em casa??? E ele responde. - É quase uma da manhã! - Não é nada... O tempo voa e eu nem dou por isso!   Um dia desta semana. O Pedro chegou. Deve ter comido qualquer coisa. Deitou-se. E deu-me um beijo. E eu. A dormir.... ...que nem uma pedra. Disse... - Vasco. Vasco.   Esta noite. Levantei-m (...)

o amor! O que é o amor...

27.10.18, Joana Marques
O amor é simples. Mãos dadas. Um bilhete escondido dentro de um livro. Ou de uma revista cheia de rins esbardalhados. Um beijo na testa.   As palavras certas: - Hoje sonhei contigo a noite toda. Um elogio. Fazer planos. Para o dia seguinte. Ou para a vida toda. Abraços longos. E quentes. Uma flor.   É bom. É melhor que tudo no mundo. Não tem preço. Não precisa ser financiado. Só alimentado. Um quadradinho de chocolate, aqui. umas pipocas, ali.   É interessar-se por saber quem (...)

criei um monstro....

30.07.18, Joana Marques
Quando conheci o Pedro já tinha mergulhado no espírito da comida saudável. E nada nem ninguém me ia fazer recuar... Já não conseguia, rotular o meu regime alimentar. Já há algum tempo tinha abandonado o Paleo. Comecei a comer glúten, com moderação, em Dezembro. E logo aí, adeus Paleo. Não comia processados. Nisso não cedi nem vou ceder. Comia o mais natural possível. Comida de verdade. Ou o mais verdadeira possível. Hoje em dia....enfim. Nada é garantido.   O Pedro deve (...)

hoje é dia de festa...

07.07.18, Joana Marques
1945, Baixo Alentejo Nasceu Manuel.   1947, Alto Alentejo Nasceu Ana.   Lisboa, Janeiro, 1967 Manuel e Ana conheceram-se em casa de uns amigos. Manuel estudava economia e Ana estava a estudar para ser professora primária. Gostaram logo um do outro e começaram a namorar. Num tempo diferente, as más línguas começaram logo a funcionar e Ana esteve grávida pelo menos umas 20 vezes nos primeiros 6 meses de namoro. Estas insinuações tanto em Lisboa como na sua terra faziam-na sofrer (...)

tal pai. Tal filho...

28.04.18, Joana Marques
Fui acordada às 5h30. Pelo cão. Claro! O Pedro. Deve ter percebido. E para prevenir a minha fuga... Pôs um braço à volta da minha barriga e eu fiquei sem conseguir sair dali. Depois de várias tentativas. Lá fui à minha vida. Começo a sentir bicho carpinteiro e não consigo estar muito tempo sem fazer nada...   O cão aproveitou a folga na cama para se deitar. - Quem foi ao ar perdeu o lugar.... Assim é o lema deste cão.   Comi qualquer coisa. E ... ....disse ao Pedro. - Vou (...)

e assim começou mais um dia....

19.04.18, Joana Marques
A Alice adapta-se muito bem a novas situações. É verdade que teve um início de vida difícil. Penso que esta facilidade de adaptação, não terá só a ver com isso. Faz parte de ser criança. Mas, independentemente de tudo. Conhece bem os que lhe são próximos. É uma bebé muito simpática. Desde que esteja ao colo da mãe, da avó, avô, padrinho, etc. Ou então que nos consiga ver. Se os olhos dela não nos alcançarem. Puxa pelos pulmões. E.... ...põe um concerto (...)

será que tem a ver? Claro que tem a ver!

13.04.18, Joana Marques
Vasco. Esse grande querido. Pede-me todos os dias comida. Primeiro com jeitinho. - Joana, dá-me esse bifinho de peru. Que tens aí no prato. Dá-lá! Dá-lá! Please, please.   Ignoro.   Continua. Mas... ...Vasco. Endurece o discurso. -Se não me dás esse bifinho de peru, vou fazer um escarcéu. Que se vai ouvir na lua. Ignoro.   Cumpre, o prometido. E inicia uma sessão de choro, uivo e descabelamento. - Vês. Vês! O que eu consigo fazer??? Dás ou não dás o bifinho de peru??