Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quiosque da Joana

05.03.18

flamingo. O início de uma nova era..

Joana Marques

Pinto desde que me lembro de ser gente.

A minha mãe é pintora. Uma pintora como deve ser.

Faltou-lhe voar. Mas escolheu-nos a nós. Filhos. Marido. E casa.

Como eu era uma bebé que não dormia sestas. Passava manhãs e tardes, sentada na cadeirinha, a vê-la pintar.

Desde muito nova, quis experimentar.

 

Quando era pequena tinha a mania que era uma artista.

E quando estava no infantário era o que mais gostava de fazer. Pintar.

Ao final do dia. Corria o que podia para chegar a casa e mostrar os meus desenhos à minha mãe.

Ao longo da minha vida fui aprendendo.

Sobretudo com a minha mãe. Sobretudo aguarela.

Aprendi muito, também com os meus professores de Educação Visual. Todos. Sem exceção.

Passei sempre com 5. E só não segui artes. Porque:

- Escolho economia, se tu também escolheres.

Foi este, o trato que fiz com o meu melhor amigo. E assim foi. Eu abdiquei de artes. E ele de ciências.

Eu sou gestora. Ele é Engenheiro informático. Na faculdade não deu para continuar o trato...

 

Aqui e ali. Vou aperfeiçoando. Vou fazendo workshops.

Mas, tem-me custado muito sair da minha zona de conforto. A aguarela.

As mulheres normais têm um estojo de maquilhagem dentro da carteira. Eu tenho uma caixinha de aguarelas. Com um mini pincel.

E um bloco de folhas A5.

Quando as coisas ficam dramáticas para mim. Ou seja, muito paradas. Toca de pintar o que vejo à minha volta.

Uma vez estive parada na A1, duas horas. Pintei, o carro que estava ao meu lado. Com uma família de 3 pessoas mais um cão.

Depois, saí do carro e ofereci-lhes a aguarela. Foi giro ver a reação.

 

Este ano. Queria sair mais da minha zona de conforto.

Abstrato. E geométrico.

Geométrico. Ou Abstrato.

Nas minhas resoluções de 2018. Tenho, para toda a gente ver. E ler.

50 desenhos.

Tão ambiciosa que eu fui.

Já me chamei todos os nomes. Estamos em Março e ainda vou no quarto.

Costumo partilha-los nas stories do instagram.

Ontem foi este. Um flamingo. Meio geométrico. A tinta da china. Só preto.

Muito simples. E singelo.

Ainda não domino a técnica...

Espero que seja o início de uma nova fase...

.....de uma nova era...

"Artisticamente" falando....

flamingoj.jpg

 

31.08.17

tricotar um xaile. Com esquema...

Joana Marques

Aprendi a tricotar juntamente com uma amiga minha, a Ana.

Nenhuma de nós sabia. E um dia decidimos que queríamos aprender.

Em minha casa ou na dela começámos por ver revistas.

A perceber que não conseguíamos aprender por aí.

Tudo muito complicado para quem não sabe, nada!

 

Entrámos no universo dos vídeos do youtube.

Só fazíamos peças simples. Ás vezes nem eram peças.

Depois, com o tempo. E sabendo que já não passaríamos vergonha começámos a frequentar workshops.

Eu fiz o workshop de luvas e ensinei-lhe.

Ela aprendeu gorros e ensinou-me.

E por aí fora.

Neste momento sabemos fazer muita coisa, graças ao tempo infinito que passámos a aprender.

A experimentar.

E a desmanchar.

Eu e a Ana trocamos fios.

Por exemplo, se eu vou a uma casa de lãs nova compro-lhe um novelo ou uma meada.

E ela faz o mesmo.

Enviei-lhe uma meada que comprei aqui em Oslo.

Passo tantas vezes à porta da loja que eles devem achar que estou a preparar o assalto do século.

Uma loja onde só se fala norueguês e eu tenho de andar feita parva a emitir sons e a apontar....

Na volta do correio chegou isto.

1 (1) (3).JPG

 

1 (3) (5).JPG

É muito fio. Mais de 500 metros. Achei que era ideal para um xaile.

Chama-se paint e é da Katia.

Comecei por pôr mãos à obra.

2(7).JPG

Já aqui tinha deixado o passo a passo de um xaile assimétrico. Fica muito bem com um fio fininho e agulhas 2,5.

 

Também este é um xaile assimétrico. Um pouco mais trabalhado. O fio é mais grosso. Um fio de inverno.

Estou a usar agulhas número 5. E aplicar o esquema anterior neste fio ficaria muito pesado.

Este novo esquema é trabalhado, tem um padrão. Fica mais leve.

 

Para este tipo de esquema aconselho vivamente terem um contador de carreiras.

Porque se forem como eu, vão se esquecer em que carreira estão nos primeiros 5 minutos.

 

Material necessário:

- fio

- agulhas apropriadas ao fio

- contador de carreiras

 

Esquema:

Iniciam com 3 pontos na agulha e é feito em liga.

E funciona em grupos de 12 carreiras.

Por isso é importante o contador de carreiras.

(se me esquecer de dizer é sempre em liga)

 

Carreira 1

-tricotar os três pontos em liga.

 

Carreira 2

- tricotar dois pontos em liga e no ultimo ponto fazer um aumento (ficamos com 4 pontos)

 

Carreira 3

- tricotar  4 pontos em liga (4 pontos)

 

Carreira 4

- tricotar 3 pontos em liga e no ultimo ponto fazer um aumento (5 pontos)

 

Carreira 5

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar em liga os restantes (6 pontos)

 

Carreira 6

- tricotar 5 pontos em liga e no último fazer um aumento (7 pontos)

 

Carreira 7

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os restantes pontos em liga (8 pontos)

 

Carreira 8

- tricotar 7 pontos em liga e no último fazer um aumento (9 pontos)

 

Carreira 9

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os restantes pontos em liga (10 pontos)

 

Carreira 10

- tricotar 9 pontos em liga e no último fazer um aumento (11 pontos)

 

Carreira 11

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os restantes pontos em liga (12 pontos)

 

Carreira 12

- tricotar 11 pontos em liga e no último fazer um aumento. (13 pontos)

 

A primeira parte do xaile está pronta.

As próximas 12 carreiras são para se ir repetindo até termos o xaile com o comprimento que desejarmos...

Devem voltar a pôr o contador a zero e iniciar a contagem.

 

 

 

Carreira 1

-tricotar os pontos todos em em liga.

 

Carreira 2

- tricotar os pontos todos em em liga.

 

Carreira 3

- fazer um aumento no primeiro ponto e tricotar os restantes pontos todos em liga. 

 

Carreira 4

- tricotar todos os pontos em liga e no ultimo ponto fazer um aumento 

 

Carreira 5

- fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os dois pontos seguintes em liga e depois até ao final: laçada, tricotar dois pontos juntos; laçada, tricotar dois pontos juntos.....

 

Carreira 6

- tricotar todos os pontos em liga e no último fazer um aumento (7 pontos)

 

Carreira 7

 - fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os dois pontos seguintes em liga e depois até ao final: laçada, tricotar dois pontos juntos; laçada, tricotar dois pontos juntos.....

 

 

Carreira 8

- tricotar todos os pontos em liga e no último fazer um aumento 

 

Carreira 9

 - fazer um aumento no primeiro ponto, tricotar os dois pontos seguintes em liga e depois até ao final: laçada, tricotar dois pontos juntos; laçada, tricotar dois pontos juntos.....

 

Carreira 10

- tricotar todos os pontos em liga e no último fazer um aumento.

 

Carreira 11

- fazer um aumento no primeiro ponto e tricotar os restantes pontos todos em liga. 

 

Carreira 12

- tricotar todos os pontos em liga e no ultimo ponto fazer um aumento 

 

Como disse, em cima, agora é repetir estas 12 carreiras até terem o xaile completo.

A cada doze carreiras convém colocar o contador de carreiras a zero. 

Acreditem, evita muitos erros.

 

E como isto é viciante o meu já está assim!

 

3 (15) (1).JPG

3 (10).JPG

 

Se ainda estiverem a iniciar o tricot ou não tiverem grande experiência, aconselho que façam primeiro este tipo de xaile. Tricotem-no com um fio fininho.

Dá trabalho mas o resultado é maravilhoso.

 

Se já são experientes vão conseguir fazer na boa este esquema que hoje deixo.

Se alguém fizer não se esqueça de me mostrar!!

Fico à espera....

 

14.07.17

se a vida te der limões.....

Joana Marques

E se a vida te der limões faz uma limonada.

Sempre ouvi dizer isto.

 

Fernando Pessoa dizia...

 "Pedras no caminho?

Guardo-as todas, um dia vou construir um castelo"

 

 

A verdade é que a vida não me tem dado limões ultimamente.

Também não tenho encontrado pedras.

Uns grãos de areia aqui e ali. Mas nada que um duche não resolva...

 

 

É o cão.

O cão é que me presenteia todos os dias.

Não com limões...não!

Pedras? Também não!

Paus.

vasco100.jpg

Pode estar em Barcelona.

Pode estar em Oslo.

É raro o dia que não chegue a casa com um.

Segui o conselho de Fernando Pessoa. Comecei a guardá-los.

Não dá para um castelo. Nem tão pouco para uma limonada.

Deu para isto.

50 (5).JPG

 

Juntei-lhe três aguarelas. Pintadas por mim.

E pronto.

Quando tiver um castelo.

Posso mirá-las enquanto bebo uma limonada....

 

13.06.17

a partilha....

Joana Marques

Tenho uma amiga que conheci nos tempos em que eu era hospedeira.

Chama-se Marie.

É islandesa mas neste momentos mora nos Estados Unidos.

É professora universitária. No campo da robótica.

Casou com um Japonês.

Também ele professor universitário. No campo da robótica.

Têm um filho.

Adolescente.

Para mal dos pecados deles é mesmo um puto de carne e osso.

Não é um robot. Tem sentimentos e tudo.

O puto é tão diferente dos pais que os deixa de boca aberta com as coisas que diz.

Já caí no erro de almoçar com o casal.

É deprimente.

A conversa dos dois vai dar sempre ao trabalho.

E eu percebo muito pouco de robótica.

Sendo sincera...não percebo nada.

Quando uma pessoa está à rasca e quer à força toda integrar-se na conversa, fala do tempo, certo?

Certo! Até na Noruega funciona.

Errado! Com este casal ou falas de robótica ou falas de robótica.

 

Com ele nunca almocei sozinha.

Com a Marie já. E é diferente. A conversa já vai para outros campos, em que eu também posso dizer qualquer coisa.

Mesmo que estejamos em desacordo. Aprendo sempre alguma coisa.

Tem uma cultura. Um ponto de vista. E opiniões que me fazem pensar. E crescer.

 

Um dia num desses almoços explicou-me que estava a trabalhar e a fazer investigação tendo como objeto de estudo: "a cadeira de rodas".

Disse-me ela que tinha descoberto uma forma de fazer virar a cadeira de rodas com mais segurança.

Ao que eu perguntei:

- E o que vais fazer? Já regista-te a patente? Vais começar a produzir cadeiras? 

Já estava a imaginar uma fábrica a produzir cadeiras de rodas em série e a Marie a mudar-se com o seu japonês e o seu filho de carne em osso, para uma ilha deserta.

Mai Tai's, sol e mar, o resto dos dias deles....pensei eu que sou gestora de profissão.

 

Olhou para mim e disse-me.

- Não. Vou publicar a minha descoberta. E esperar que alguém pegue na ideia e a melhore. Se eu registar a patente durante um tempo ninguém pode mexer nisto e a descoberta fica estagnada. E queremos é que mais alguém trabalhe nisto e desenvolva o conceito.

 

Achei isto de um altruísmo sem explicação.

Digno de alguém brilhante. Não só de cabeça mas também de coração.

A partilha é dos atos mais nobres de um ser humano.

Dá a possibilidade de outros poderem pegar no que deixámos e assim tentar fazer melhor.

Se estivermos sempre a começar do zero, o mundo não avança. E não tenhamos ilusões, haverá sempre alguém melhor do que nós. E ainda bem. Só assim nos superamos.

Não querendo comparar-me com a Marie, nem com o trabalho espetacular que faz, posso de alguma forma partilhar o pouco que sei. E quem dá o que pode a mais não é obrigado.

 

Por essa razão criei o grupo handmade life.

 

Se eu tiver uma receita boa, qual é o mal de a partilhar. Porque raio vou guarda-la para mim?

Se eu descobrir uma loja mesmo, mesmo boa porque não partilharei?

Se encontrar uma página no facebook que tem peças únicas, não faz sentido guarda-la para mim, ou faz?

E sim eu tenho um blog, mas qualquer pessoa pode partilhar um post do seu blog, por exemplo.

Se tiver mais visualizações com isso, melhor. É mesmo para divulgar que a página serve. 

Podemos aprender todos uns com os outros.

E desta forma melhorar a nossa vida...mesmo que seja devagarinho...

 

25.03.17

um granny por dia....

Joana Marques

Em Carcavelos tenho tanto fio que posso a qualquer momento abrir uma loja.

Quando me mudei para Barcelona levei alguma coisa. Pouco.

Só que descobri uma loja espetacular. Com preços do outro mundo.

Ainda fiz algumas coisas. Porque o tempo escasseava, contam-se pelos dedos de uma mão.

Neste momento em Barcelona tenho tanto fio que posso a qualquer momento abrir uma loja.

Se juntar Barcelona e Carcavelos posso abrir uma MegaStore.

 

Quando vim para a Grécia. Vim órfã de projeto.

E estar órfã de projeto. Entristece-me.

Mal cheguei percebi que tinha de arranjar qualquer coisa para fazer.

Encontrei uma loja da especialidade e comprei uma agulha nº3 e algodão fininho.

E comecei um novo projeto.

É um projeto longo. 

Deve estar acabado daqui a uns 6 meses. Porque é feito lentamente. Exatamente como eu gosto.

Todos os dias faço um granny square. Básico. Simples. E diferente. Pelo menos nas cores.

No fim de cada semana tenho de ter feito 7.

Ao fim do mês tenho de ter 30.

E só paro quando decidir o tamanho da manta. Ainda não sei. Logo se vê.

1 (1) (2).JPG

É assim que eu gosto de viver a vida.

Construída um pouco todos os dias. Acrescentada.

Flexível.

Resiliente.

Não é para desistir.

Nem trocar.

Porque quando achamos que vale a pena não se troca.

Nem se passa à frente.

 

Sem pressas e sem pressões.

Com tempo. O que vale a pena é demorado.

E já não estou órfã de projeto.

 

09.03.17

anti-stress...

Joana Marques

Uma das coisas que me deixa zen e num estado de acalmia, tipo mar morto é o desenho.

Sempre que tenho tempos mortos. Começo logo à procura de uma caneta e desenho...

Depende da disposição, às vezes aparecem desenho mais adultos outras vezes mais infantis...ou então tudo junto!

Um destes dias estava eu a desenhar.

Desenhei um peixe.

Depois outro.

Um a rir. Outro sério...

Depois desenhei um risco e depois outro paralelo. Depois preenchi o que estava entre eles...

...é como aquela história da conversa ser como as cerejas....também podemos aplicar esse ditado aos desenhos...

 

Quando dei por terminado o meu maravilhoso trabalho , alguém me pediu para tirar cópia para o pintar....

Lembrei-me de o partilhar....

...como se fosse um daqueles livros para colorir para adultos que agora se usa...só que feito por mim...

 

Eu também estou a colorir o meu....

1 (3).jpg

Escolhi 5 cores.

Pinto 10 elementos de cada cor.

E pinto de 4 em 4 elementos.

E estou a aplicar a técnica mosaico.

Não está acabado....é um anti-stress é para se ir fazendo, com calma e sem perfecionismo...

 

 

Joana Marques

foto do autor

Sigam-me

contador de acesso grátis

Links

Grupo no Facebook de Partilha handmade! 💝

As histórias do cão! 🐶

Tricot 🌺

Crochet 🌻

Receitas 🍳🥦🥧

Planear ⌚📅 📊

Comentários recentes

  • Joana Marques

    Ela "fala" muito....mas em português só diz 3 pala...

  • Bruxa Mimi

    Esta fase dos miúdos é deliciosa!

  • Joana Marques

    O Pedro não tem facebook, por essa via é impossíve...

  • Silent Man

    Exacto! Deve ser mesmo assim que o vou reconh...

  • Joana Marques

    parece-me que tudo o resto é pior que a derrota......

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D