Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quiosque da Joana

11.02.18

gorro em crochet. Passo a passo

Joana Marques

Adoro gorros.

São os meus melhores amigos.

Friorenta. Só deixo de ter frio acima dos 25º. O ideal de temperatura para mim é acima de 30º.

Aos 35º acho que morri e fui para o céu.

E aos 40º sinto-me perfeitamente bem. Consigo correr e tudo.

Por ser assim. Quando comecei a aprender a tricotar os gorros, boinas e chapéus foram uma prioridade.

Comecei por tricotar gorros com duas agulhas e depois unia-os com uma costura. Nunca ficavam muito bem.

Depois aprendi a tricotar com 5 agulhas e deixei de ter o problema das costuras.

Tempo. Tricotar um gorro demora algum tempo.

 

Comecei a aprender crochet. E o crochet é muito mais rápido.

Certos trabalhos, até os prefiro em crochet.

Têm aspeto mais artesanal. mais rústico.

 

Tinha aqui uns restos de um fio que adoro. Woolyboo. Da rosários 4.

Este fio é: 50% algodão. 35% Bambú. 15% lã.

Ideal para bebés. Na minha opinião.

Comprei aqui. Adoro esta loja online. São muito rápidos nas entregas e muitas vezes para além da encomenda, oferecem-nos esquemas de peças para podermos tricotar.

Queria crochetar um gorro para a Alice. Mas a meio do caminho percebi que o fio não chegava.

Acabei por fazer este passo a passo. E fiquei com um gorro para um recém nascido.

Este esquema adapta-se a qualquer tamanho. É uma questão de fazer mais ou menos carreiras.

 

1ª carreira.

Começar por fazer um anel mágico.

Fazer duas correntes.

E 9 pontos altos.

Unir com um ponto baixíssimo.

3 (1) (1).JPG

2ª carreira.

Subir duas correntes.

Em cada ponto anterior fazer dois pontos altos.

Unir com um ponto baixíssimo.

3 (4) (1).JPG

3 (9).JPG

 

3ª carreira.

Subir duas correntes.

Fazer dois pontos juntos, um ponto, dois juntos, um ponto...até ao final da carreira.

Unir com um ponto baixíssimo.

3 (12).JPG

 

3 (13).JPG

 

4ª carreira.

Subir duas correntes.

Fazer dois pontos juntos, um ponto, um ponto, dois juntos, um ponto, um ponto...até ao final da carreira.

Unir com um ponto baixíssimo.

3 (14).JPG

3 (15) (3).JPG

 

5ª carreira.

Subir duas correntes.

Fazer dois pontos juntos, um ponto, um ponto, um ponto, dois juntos, um ponto, um ponto, um ponto...até ao final da carreira.

Unir com um ponto baixíssimo.

 

3 (17).JPG

3 (19).JPG

Como é um gorro para recém nascido. Paro por aqui os aumentos.

3 (20).JPG

Para cabeças maiores têm de continuar os aumentos.

Pode acontecer nos últimos pontos das carreiras não bater certo.

Por exemplo se estão a fazer aumentos de 4 em 4 pontos. No final podem sobrar 6 ou 7.

Não se preocupem. Podem optar por fazer ou não o aumento.

O que costumo fazer é numa carreira faço o aumento, na outra a seguir se acontecer o mesmo não o faço.

 

 

Próximas carreiras.

Subir duas correntes.

Fazer um ponto em cada ponto anterior. Até ao tamanho desejado.

Unir com um ponto baixíssimo.

3 (25).JPG

Podem terminar com um padrão simples.

Eu gosto de fazer um ponto diferente no final. Para lhe dar uma graça diferente.

 

Ultima carreira.

Subo duas correntes.

Faço 4 pontos altos nesse ponto.

3 (27).JPG

Deixo dois pontos sem fazer nada e prendo com um ponto baixíssimo no terceiro.

3 (28).JPG

Depois é só seguir o padrão até ao fim.

Subo duas correntes.

Faço 4 pontos altos nesse ponto.

Deixo dois pontos e prendo no terceiro.

Mais uma vez. Pode acontecer, no final não bater completamente certo.

É uma questão de gerirem isso ao longo da ultima volta.

Podem ter de deixar apenas um por fazer e não dois. No final não se nota...

3 (30).JPG

Gosto de lhe colocar uma fitinha à volta.

Com um laço.

3 (32).JPG

3 (31).JPG

Deixo aqui uma tabela de medidas para gorros.

Pode ser que vos seja útil. São medidas aproximadas.

 

De qualquer forma, o truque é simples.

Para saber o diâmetro a crochetar é medir o perímetro da cabeça e dividir por 3.

 

gorro.png

 Bom trabalho!

Já agora, algum passo a passo que gostariam de ver aqui no Quiosque?

Se tiverem alguma sugestão, deixem nos comentários.

 

 

 Juntem-se ao handmade life.

Sigam-me no instagram.

E no facebook.

E se gostaram do post, partilhem-no. Pode ser que ajude alguém...

20.07.17

tricotar um xaile. Passo a passo!

Joana Marques

Adoro tricotar xailes.

Usá-los já é outra conversa.

Depois de já ter tricotado muitos xailes diferentes.

Cheguei ao meu xaile preferido.

Não de tricotar. Mas de usar.

 

Xailes muito trabalhados.

Gosto de os tricotar, apenas.

Usar, não consigo. Acabo por desmanchá-los ou oferecer-los a alguém.

 

Xailes simétricos. Que sejam um triângulo perfeito.

Tricoto-os sem problemas.

São xailes que se iniciam no centro e se vão acrescentando pontos em todas as voltas.

Não gosto de os usar.

Sinto sempre que falta uma parte do xaile.

Parece que fica muito pequeno.

Fica-se assim com qualquer coisa pendurada no pescoço...sem grande utilidade.

 

Para eu usar o xaile tem de ser assimétrico, com um ponto simples e tem de ser comprido.

Um xaile deste tipo é muito versátil.

Pode ser um xaile de Verão ou de Inverno. Conforme o fio que se escolha.

E pode ser usado de várias maneiras.

Se for comprido fica giro porque pode dar várias voltas. E como é assimétrico fica com efeitos engraçados.

Na maioria das vezes uso-o como se fosse um cachecol.

 

Depois de ter entrado no mundo dos xailes.

Acabei como comecei. O que eu mais gosto é o mais fácil de fazer.

Em ponto mousse. É feito todo em liga.

Já tinha explicado o esquema aqui.

Hoje acrescento fotos.

Ao longo da explicação aparecem também vídeos. Para ajudar na parte mais difícil.

Qualquer pessoa que saiba tricotar consegue. É só seguir o esquema.

 

Vamos a isso?

Começamos com 3 pontos na agulha.

1 (18) (1).JPG

1ª carreira: é uma carreira ímpar.

Em todas as carreiras ímpares: tricotamos em liga todos os pontos e no último ponto fazemos um aumento.

Ficamos com 4 pontos na agulha.

1 (24) (1).JPG

2ª carreira: é uma carreira par. 

Em todas as carreiras pares: tricotamos o primeiro ponto em liga. O segundo ponto fazemos um aumento. Tricotamos em liga todos os pontos até aos dois últimos. Estes dois últimos pontos, tricotamos juntos.

Continuamos com 4 pontos na agulha.

1 (26).JPG

3ª carreira: é uma carreira ímpar.

Em todas as carreiras ímpares: tricotamos em liga todos os pontos e no último ponto fazemos um aumento.

Ficamos com 5 pontos na agulha.

1 (3) (2).JPG

 

4ª carreira: é uma carreira par. 

Em todas as carreiras pares: tricotamos o primeiro ponto em liga. O segundo ponto fazemos um aumento. Tricotamos em liga todos os pontos até aos dois últimos. Estes dois últimos pontos, tricotamos juntos.

Continuamos com 5 pontos na agulha.

1 (5) (3).JPG

Se conseguiram chegar até aqui. Já têm o xaile praticamente pronto!

Porque agora é sempre igual até ao fim!!

Acreditem, começar é a parte pior....

 

Se continuarem sempre com o mesmo esquema.

O vosso xaile vai crescendo. Assimetricamente!

1 (13) (3).JPG

 

(fio usado: woolybool, rosários4)

 

Quando parar?

Depende do que querem.

Depende do tamanho da pessoa que vai usar o xaile. E daquilo que pretendem.

Eu gosto dele muito comprido.

E largo.

Este que fiz, depois de bloqueado ficou com 42 cm por 2,25m.

x1.jpg

Para mim estas são as medidas certas para um xaile.

Depende sempre do fio usado.

Estas medidas servem essencialmente para nos guiarmos.

 

cp.jpg

No final. Bloquear o xaile.

E depois, é só usar!!

Não se esqueçam que podem aderir ao grupo handmade life e partilhar todos os vossos trabalhos!

Espero-vos lá!

Joana Marques

foto do autor

Sigam-me

contador de acesso grátis

Links

Grupo no Facebook de Partilha handmade! 💝

As histórias do cão! 🐶

Tricot 🌺

Crochet 🌻

Receitas 🍳🥦🥧

Planear ⌚📅 📊

Comentários recentes

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D